data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

sábado, 3 de maio de 2014

Cicloturismo: uma boa opção para os pais que gostam de pedalar com os filhos

Pedalar está na moda e, se colocar a bicicleta nas ruas da cidade pode ser perigoso para as crianças, roteiros fora do Brasil permitem que os pequenos explorem a natureza sobre duas rodas. Pegue o capacete e aproveite!

pegue o capacete e aproveite

Leve em conta que só crianças com mais de 5 anos podem participar da pedalada

Com o trânsito nas grandes cidades, a preocupação com meios de transporte alternativos é mais do que uma necessidade. Faixas de ônibus e novas ciclovias são planejadas e surgem a todo momento, mas, se você ainda não tem coragem de andar pelas ruas com as crianças sobre duas rodas, que tal viajar? Empresas estão se especializando em cicloturismo, uma opção para os pais que querem mostrar para os filhos que nem só de carro, ônibus e avião são feitos os trajetos de férias.


O primeiro passo dessa nova aventura depende do preparo dos pais. Conhecer os limites e a capacidade do próprio corpo é essencial, já que o adulto irá pedalar por dois, sem contar o peso extra dos equipamentos. Esse sobrepeso também interfere no roteiro, pois o ritmo da pedalada diminui, segundo Claudia Franco, da Ciclofemini, escola especializada em pilotagem de bicicletas. Um infográfico publicado pelo casal Verônica e Rodrigo, do site Casei e Comprei uma Bicicleta, mostra que a média de peso dos equipamentos utilizados para levar as crianças varia de 15 a 25 quilos. Eles contam que o preparo para as viagens veio da pedalagem diária por Londres, onde moravam antes de se aventurar em grandes viagens com a filha, Alice. "Nós não andávamos de bicicleta no Brasil. Compramos nossas bikes quando nos mudamos para Londres e, durante alguns anos, pedalávamos quase todos os dias. Foi assim que nos preparamos", conta Verônica.

Depois da questão física, chega a hora de planejar o passeio. Leve em conta que só crianças com mais de 5 anos podem participar da pedalada, sempre acompanhadas dos pais ou responsáveis, e circuitos com mais de 10 quilômetros não são indicados. "Você precisa observar como a criança reage à experiência, se ela se adapta, se a lista de itens para levar está boa, enfim, fazer um test-drive", orienta Gustavo Angimahtz, diretor de marketing da Pediverde, especializada em passeios de bicicleta.

Para onde ir

Enquanto no Brasil o cicloturismo ainda engatinha, em países como Estados Unidos, França, Espanha, Itália, Austrália, Nova Zelândia e Canadá há rotas criadas especificamente para quem pretende turistar em duas rodas. Em outros, como na Holanda e França - Bretanha e Vale do Loire -, os passeios são programados pensando nas crianças. Claudia sugere que os pais procurem operadoras que promovam viagens com roteiros preestabelecidos e atividades educativas e turísticas para os pequenos, antes de fazer uma rota autônoma. Nesses passeios, carros acompanham os ciclistas durante o trajeto e, muitas vezes, há programas separados para adultos e crianças. 

Foi o que fez a empresária Marcia Lucas, que viajou para a França com os filhos para um tour de bicicleta. "Nossa primeira aventura foi na região da Bretanha, e meu filho mais velho, com 8 anos na época, ainda não sabia pedalar. A viagem foi um grande estímulo para que aprendesse algumas semanas antes de partirmos", comenta. Ainda que a criança não saiba ou não consiga pedalar, existem alternativas de transporte. Para as menores, até 5 anos, as cadeirinhas encaixadas na bicicleta ou os trailers são as melhores opções. Já para as maiores, até 9 anos, existe a opção do tag-a-long, um tipo de minibicicleta acoplada na bicicleta do adulto que permite que a criança também pedale. 

Passo a Passo do Roteiro

1. Nem toda rota é adequada para uma viagem com crianças. Planeje o caminho antes e opte pelo mais seguro, com infraestrutura próxima, como hospitais e locais de descanso.

2. Não pedale em alta velocidade e deixe que o ciclista mais lento dite o ritmo, já que ele pode não ter condicionamento físico necessário para acompanhar o mais rápido.

3. Evite rotas com buracos, descidas, subidas, com estradas movimentadas ou cruzamentos difíceis.

4. Tenha sempre uma rota alternativa e mais rápida para casos de urgência.

5. Verifique os pontos turísticos na sua rota. Isso evitará o tédio nas crianças e será um ponto de referência para os demais ciclistas.

6. É bom ter experiência na pilotagem da bicicleta. Se esse não for o seu caso, comece muito antes da data da viagem e a incluí-la no cotidiano da família, acostumando com o sobrepeso do pequeno. Pedale nos fins de semana e utilize a bike para atividades do dia a dia, como levar o filho à escola ou mercado.

3 ótimos lugares para pedalar em família

fonte: http://mdemulher.abril.com.br