data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Marcia de Luca acredita que as amizades 'nos ajudam a viver mais e melhor'

Nossa colunista defende, baseada em pesquisas realizadas, que as amizades femininas ajudam a acalmar e reduzir o estresse 



Existem no nosso planeta vários povos extremamente longevos,e eles moram em diferentes regiões espalhadas pelo mundo. Muitas pesquisas foram realizadas na tentativa de descobrir fatores que se repetem nas referidas comunidades. A pergunta que guia todos os estudos é: afinal, o que fazem os moradores de todos esses lugares para viver mais e melhor?

Certas particularidades foram descobertas, muitas já bem difundidas, como a alimentação equilibrada, os exercícios moderados e regulares, os pensamentos positivos e um bom copo de vinho tinto. A meu ver, no entanto, uma coisa que verdadeiramente faz a diferença para uma longevidade com qualidade de vida (sim, porque ninguém merece viver mais e pior, não é mesmo?)é o bom convívio com familiares e amigos. As pessoas que compartilham a vida com outras, essas, sim, serão sempre mais felizes e viverão mais.

Pense no contrário. Você já ouviu falar que solidão mata? Pois é mesmo muito triste estar e se sentir sozinha, abandonada, sem nenhum apoio. A troca que ocorre no convívio com quem nos conforta eleva nossa autoestima, nos protege e,mais ainda, dá a maior força ao nosso sistema imunológico graças à liberação de enzimas e peptídeos benéficos.É como se fôssemos inundados por partículas de luz.

'A vida seria mais lógica se as pessoas gostassem somente de quem gostasse delas', diz Danuza

Nossa colunista, Danuza Leão, fala, em mais uma de suas crônicas, sobre afinidades e momentos cotidianos que fazem parte da nossa vida. Confira
As pessoas gostam de sofrer - eu acho. Quantas vezes dei o ombro para uma amiga (para uma, não; para várias) chorar, desesperada, porque o homem por quem estava apaixonada tinha ido embora? Penso em como a vida seria mais lógica - e melhor - se as pessoas gostassem somente de quem gostasse delas. Eu já atingi (quase) esse estágio celestial: sou de gostar só de quem gosta de mim. E não estou falando de amores, mas de tudo.

Suponhamos que você vá ao banco e a moça que atende não seja tão gentil como devem ser todas as pessoas que lidam com o público em geral. Ok, vamos dar um crédito a ela, que pode ter começado uma briga com o filho logo de manhã e nem ter conseguido tempo de terminar, pois precisava sair correndo para trabalhar. Se você olha e sente que o clima não está dos melhores,dê uma disfarçada e se dirija àquela outra caixa, que parece ter acordado achando a vida dela a melhor de todas as coisas. Ela vai dar as informações de que você precisa sempre com um grande sorriso estampado na cara; e não vai ser melhor assim?

Na vida pessoal, é quase igual. Às vezes, sem nenhum motivo, seu santo não cruza com o de outra pessoa. Se ela falar com você cheia de gentilezas e gracinhas, por mais que seja simpática, você vai implicar. Por quê? Por nada, ora.

Mas tem pior, e essa dói: é quando você admira uma pessoa e gostaria, sinceramente, que fosse sua amiga, mas não rola. A gente se sente rejeitada, não entende a razão, fica triste de verdade. Mas não deveria. Deveria é pensar que nem todo mundo tem obrigação de gostar da gente e, se uns não gostam, outros gostam. E pode ser perfeito tomar uma atitude meio infantil. Lembre-se de como faz a criança, que sabe das coisas: "Se a pessoa não gosta de mim, então também não gosto dela", decide.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Tímidos sem vergonha

Por muito tempo, eles foram vistos como esquisitos e destinados ao fracasso. Mas a ciência desmascarou as qualidades dos quietos. Agora, é a vez dos introvertidos darem lições aos extrovertidos. Silêncio, por favor

Charlie Brown só queria um amor. O amor da menina dos cabelos vermelhos. No dia dos namorados, escreveu um cartão para ela. Ensaiou o momento da entrega, o tom de voz, os gestos. Mas o cartão nunca saiu do seu bolso. Ele nunca teve coragem de se declarar. Na verdade, ele nem sequer perguntou o nome dela. Charlie Brown é o tipo de sujeito que se esconde atrás da timidez. Nossa, ele quase recusou um convite para viajar à França (seria muita novidade por metro quadrado). Como diz aquela canção dos Smiths: "timidez é legal, mas pode te impedir de fazer tudo que você gostaria na vida".


Pode até ser. Mas ela é bem comum - talvez mais popular que o encabulado dono do Snoopy. "Muitas pessoas são tímidas, mas a maioria não sabe. E os mais tímidos pensam que só eles são tímidos, estão sozinhos no mundo", diz o americano Bernardo Carducci, autor de vários livros sobre o assunto. Pasme, na nossa cultura de falastrões, 50% se dizem tímidos. Dentro do seu círculo social, um em cada três amigos é introvertido (tecnicamente, quem possui traquejo social, mas precisa de solidão para recarregar baterias - ver pág. 51). É muita gente. Só que essa maioria silenciosa ainda veste, conscientemente ou não, máscaras de extroversão. O problema é que, por muito tempo, ser reservado foi um problema. Só os expansivos viravam chefes, ícones, modelos a ser perseguidos. Por sorte, o mundo andou. As qualidades dos quietos (concentração, produtividade e, por que não, bom senso) voltaram a ser valorizadas. E servem de lição até para os populares extrovertidos.

Ainda assim, a minoria silenciosa ainda se vê obrigada a responder se "está tudo bem?" quando resolve passar um tempo na sua. Culpa do século 20.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Calor intensifica Crises de Enxaqueca!

A enxaqueca é uma doença multifatorial, causada por vários fatores além do genético. O consumo de alimentos como queijos, embutidos e chocolate, alterações hormonais, tabagismo, odores fortes e ingestão de bebida alcoólica podem desencadear uma crise.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

PM suspeito de matar lutador de MMA no RN é baleado e ex-mulher é morta



O tenente da Polícia Militar Iranildo Félix - suspeito de matar o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, assassinado na última segunda-feira (10) na zona Sul de Natal - foi baleado em um atentado ocorrido no início da tarde deste domingo (16) em Macaíba, na Grande Natal. O oficial foi socorrido com vida. A ex-mulher dele, que estava no carro, morreu na hora. De acordo com o cabo Josemário, do 11º Batalhão da PM de Macaíba, os responsáveis pelo crime são dois homens, ainda não identificados, que fugiram em uma motocicleta vermelha.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Agorafobia - Dr Dráuzio Varella - Entrevista


Dr. Tito Paes de Barros Neto é médico psiquiatra. Supervisor do Ambulatório de Ansiedade (AMBAN) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo e assistente do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, publicou o livro "Sem medo de ter medo – um guia prático para ajudar pessoas com pânico, fobias, obsessões, compulsões e estresse" (Ed. Casa do Psicólogo, 2000). A+a-

Quando era estudante de Medicina, tive uma experiência com uma amiga que encontrei na porta do prédio onde haveria uma festa no 15º andar. Fui para o elevador e ela se dirigiu para as escadas. “Prefiro ir pelas escadas. Tenho medo de elevador” foi o que me disse. Eu insisti e insisti para que subíssemos juntos, e ela acabou concordando. Lá pelo 7º andar, entrou numa crise de pânico tão desesperado que apertei o botão de emergência. O elevador parou e nós subimos pela escada até o local da festa.

Minha amiga era portadora de um transtorno chamado claustrofobia (medo de lugares fechados) no qual a ansiedade é desencadeada por situações que para os outros não representam perigo nem ameaça.

A agorafobia é outro distúrbio de ansiedade que, na maioria das vezes, está associado às crises de pânico. Formada por dois radicais gregos – ágora, nome dado às praças onde se realizavam trocas de mercadorias ou reuniões do povo e fobos, que quer dizer medo, – inicialmente, a palavra era empregada para indicar o medo que as pessoas sentiam em lugares abertos. Hoje, o significado é muito mais amplo. Segundo o Manual de Diagnóstico e Estatística da Associação Psiquiatra Americana (DSM-IV), a palavra é usada para definir comportamentos de esquiva, que aparecem quando a pessoa se encontra em situações ou locais dos quais seria difícil ou embaraçoso escapar ou mesmo receber socorro se algo de errado acontecesse. Nos casos mais graves, a agorafobia compromete a vida social e profissional dos pacientes.

CARACTERÍSTICAS

Drauzio – O que caracteriza a agorafobia?

Tito P. de Barros – A principal característica da agorafobia é estar associada ao transtorno de pânico. Geralmente, a pessoa relaciona esse transtorno a determinadas situações ou ambientes e passa a evitá-los com medo que deflagrem ataques de pânico. Por exemplo, sair de casa sozinha. Se algum dia ela saiu de casa a pé ou de carro e passou mal no trânsito, evita sair desacompanhada. Precisa sempre de alguém de confiança por perto. Mesmo dentro de casa, se teve um ataque de pânico, dormindo ou enquanto tomava banho, não consegue mais ficar sozinha.

As situações que desencadeiam o processo são muitas. O agorafóbico teme enfrentar congestionamentos, passar por túneis e pontes, viajar em estradas que não tenham telefones de emergência instalados a cada um ou dois quilômetros, porque julga que sair dali será difícil ou embaraçoso ou, ainda, porque o socorro não estará disponível se ocorrer uma emergência.

Drauzio – O ataque de pânico associado a uma fobia específica – medo de ficar preso no elevador, por exemplo, – costuma estender-se a outras situações da vida diária?

Tito P. de Barros – Pode restringir-se, como pode generalizar-se. Isso depende de uma série de fatores, inclusive da personalidade. Se a pessoa for mais vulnerável biologicamente ou às condições determinadas pelo ambiente e pela educação, pode ampliar um quadro de fobia específica para um quadro de agorafobia ampla.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Cuidar da Saúde começa quando cuidamos da Alma


Podemos considerar o nosso corpo um santuário sagrado, onde tudo que somos enquanto espírito ou essência se revela. E em essência nós somos pura alegria, amor e paz. Só que esquecemo-nos constantemente disto porque poucas vezes nos preocupamos conosco verdadeiramente.
Por isso, a vida é um presente divino que nos possibilita desenvolver nossos dons, aflorar nossos defeitos e libertar-se das prisões que nos fazem voltar vida após vida para resolver.
Durante a experiência terrena, nós necessitamos cuidar do corpo, tanto quanto do espírito ( mental, emocional e sentimental ). Porque se um desses fica em desequilíbrio, nós sofreremos as consequências em algum âmbito.
Às vezes vejo pessoas espiritualistas, principalmente, tão veneradas com o vegetarianismo, por exemplo, que nem percebem o quanto incomodam os outros com suas atitudes e com seus conselhos. Neste caso, não adianta ser radical com a alimentação, cuidar do corpo físico e não cuidar com a prepotência de achar que só o que elas pensam está certo.


O ser humano tem caminhado cada vez mais rumo a uma consciência mais espiritualizada, mais evoluída. Porém não podemos exigir uma mudança tão radical. Nem podemos exigir do outro aquilo que não somos o exemplo.
É extremamente importante cuidar da alimentação, porque comemos muita coisa industrializada hoje em dia. Temos hábitos muito destrutivos para o corpo físico. Com o tempo as pessoas ficam intolerantes e nem se dão conta que o corpo já não consegue mais tolerar certos tipos de alimentos, como leite e glúten, que não são nada saudáveis. Agora, precisamos respeitar o momento do despertar de cada um.
No entanto, podemos refletir também o quanto estamos intolerantes com a vida, o quanto levamos a sério coisas que não condizem conosco. Nós fazemos, porque nos foi ensinado desta forma ou porque é moda, por exemplo, mas nem estamos adaptados a uma nova realidade.


E adaptação é coisa que leva um tempo. Um tempo que só nós sabemos qual é. Por isso quando algo novo se apresenta em nossas vidas, existe um período em que as coisas se ajustam para a mudança ser harmoniosa. E neste ínterim não podemos perder a essência alegre e feliz de ser. Levar o acontecimento tão a sério quanto com leveza.
Da mesma forma não adianta cuidar somente da alimentação, do corpo físico e ser uma pessoa desequilibrada emocionalmente, não tendo paciência ou tolerância com as pessoas. Ou ainda ter um corpo saudável e uma mente extremamente agitada, sem paz interior ou tranquilidade.


Precisamos lembrar sempre que somos um conjunto que precisa estar em sintonia. Como uma sinfonia musical, onde todos os músicos necessitam estar afinados, senão a música fica ruim, desafinada. E no caso dos aspectos espiritual, mental, emocional e físico, nós somos o maestro. E os profissionais onde tratamos cada parte são os músicos. Mas quem comanda tudo é a nossa consciência que precisa estar em sintonia com o que quer, com a cura e com o bem-estar.
Costumamos dizer em nossos cursos que quando o espírito (falta de fé, de acreditar em algo superior a nós...) está doente, precisamos tratar o espírito. Quando é o mental (falta de tranquilidade e paz, agitação...), precisamos tratar o espírito e a mente. Quando são as emoções (medo, mágoa, tristeza, culpa, remorso, arrependimento...), precisamos tratar o espírito, a mente e as emoções. E quando precisamos tratar algo que está se manifestando no físico, como uma dor ou uma doença, nós precisamos tratar tudo.
Ao detectarmos que o corpo físico está enrijecido, doente ou dolorido é porque perdemos a fé em nós e em Deus primeiramente, questionando a justiça divina ou a nós mesmos. Depois a mente fica pessimista porque não crê em nada, fica confusa. Posteriormente, a mente desequilibrada gerará emoções negativas e por fim o corpo sofre as consequências da falta de conexão.
Então, o ajuste começa com o acerto de contas com Deus e com nosso Eu Superior. Em seguida é essencial mudar o pensamento. Ter uma nova sintonia, pensar em novas possibilidades e ser positivo. Essa mudança, essa nova postura trará, além de alegria, motivação, força de vontade, coragem, confiança, segurança, uma série de sentimentos e emoções positivas que brotarão dentro de nós indicando que estamos no caminho certo. E o resultado de tudo será um corpo saudável, uma consciência saudável e uma vida mais feliz.

Por Cátia Bazzan – Autora do livro Ame Quem Você é – Saiba que a melhor escolha é a sua.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Aceitar o fim das etapas na vida.....


"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.


Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Como se refrescar sem Ar Condicionado!

Não possui um ar-condicionado para aguentar dias insuportáveis de calor? Ou não gosta de ar, por motivos de saúde?  Aqui estão dicas para refrescar sua casa e se refrescar!

Durma mais refrescado. Utilize estas ideias para combater o calor que perturba o sono:
Consiga um ventilador para seu quarto. Um ventilador de baixa intensidade faz maravilhas ao criar uma leve brisa no quarto. Se não gosta do ar sopre diretamente em seu rosto enquanto dorme, deixe o ventilador próximo à janela para uma melhor circulação de ar fresco.
Coloque um pequeno travesseiro no freezer por uma hora ou duas antes de ir para cama. Coloque algumas sacolas plásticas ao redor dele para evitar a formação de gelo no tecido.
Coloque as roupas de cama na parte mais fria da casa durante o dia. Faça isso assim que acordar. Pendure fronhas e lençóis de forma a expô-los ao vento. Colete as roupas de cama penduradas na hora de dormir.
Use fronhas de seda ou cetim e lençóis de cetineta. Tais tecidos o farão se sentir mais confortável e refrescado.

 Adicione mais água em sua vida. O alívio é quase imediato, devendo durar por uma hora ou mais.
Beba água frequentemente. Se hidratado, o corpo é mais capaz de se refrescar. Tente beber um copo de água por hora. Adicionar folhas de menta ou laranja, e fatias de limão ou pepino na água a torna mais refrescante.
Proteja sua nuca do sol (use um boné virado para trás, ou levante o colarinho) ou coloque um lenço molhado logo atrás do pescoço. O sensor que controla a temperatura corporal está nessa região. Com este passo, é possível fazer seu corpo “pensar” que está frio!
Coloque ou amarre uma bolsa de gelo na nuca.
Molhe seus cabelos. No mínimo, umedeça suas pontas. A evaporação da água esfriará sua cabeça (Note: Cabelos ondulados poderão se encaracolar!).
Use uma bandana ensopada de água. Ou reviva os anos 80 usando uma bandana de grafatex na testa.
Tente usar um climatizador de ar com névoa. Estes dispositivos portáteis funcionam à bateria e podem ser levados para qualquer lugar. O vapor liberado e ventilado por ele atinge sua pele, dando uma sensação instantânea de frescor.
Molhe uma camiseta, torça-a e vista-a logo em seguida. Sente-se em uma cadeira que permita a passagem de ar e ligue um ventilador em sua frente. Quando secar, molhe a camiseta novamente. Utilize água morna para não gerar um “choque” térmico.
Use uma camisa de mangas curtas e molhe apenas as mangas. Você pode pegar um resfriado caso esteja molhado e tomando vento! Use uma garrafa, uma pia ou uma mangueira para manter as mangas molhadas. Para refrescar as pernas enquanto usa calças longas, molhe as pernas. Saias longas também servem para isso. Apenas borrife um pouco de água na bainha.
Faça água gelada correr pelos seus pulsos por 10 segundos para cada mão. Isto irá reduzir bruscamente sua temperatura por quase uma hora.
Entre numa banheira cheia de água fria. Quando se acostumar com a temperatura, livre-se de um pouco de água e encha a banheira novamente com água gelada. Continue a fazer isso até se sentir gelado. Após sair da banheira, seu corpo se manterá refrescado. Para um resfriamento ainda mais rápido, adicione gelo!

 Vista-se apropriadamente. Existem muitas estratégias para se vestir (ou para não se vestir) no calor, dependendo de sua situação:
Fique nu. Se você estiver numa situação onde possa ficar sem roupas. Esta é a maneira mais simples e natural para manter-se refrescado.
Fique seminu. Coloque uma roupa de banho, ou vista apenas roupas íntimas.
Vista roupas de verão. Use tecidos naturais mais folgados (algodão, seda, linho) e evite o poliéster, o raiom, e outros tecidos de fibra artificial (com a possível exceção de tecidos inteligentes).
Vista cores claras. Cores mais escuras absorvem o calor do sol, permanecendo quentes por mais tempo do que roupas claras ou brancas. Cores claras sempre refletem a luz e o calor.
Cubra-se. Cubra-se para manter-se refrescado, especialmente em dias de muito calor e baixa umidade. Nas elevadíssimas temperaturas desérticas do Oriente Médio, povos tradicionais cobrem-se das cabeças aos pés. De tal modo, a pessoa pode se proteger dos raios solares e conseguir um bronzeado. Prefira roupas folgadas e confeccionadas com tecidos naturais.

 Mude sua dieta. Os alimentos e bebidas consumidas também ajudam a refrescar.
Encha o freezer com lanchinhos gelados e saborosos. Congele uma sacola com pedaços de frutas da estação. Prefira melancias, abacaxis ou limões. É uma experiência deliciosa e refrescante!
Lembre-se sempre da menta. Ela dá uma ótima sensação de frescor ao corpo. Tente usar em sua pele produtos derivados de menta. Besunte-se com loções de hortelã (evitando o contato com rosto e olhos); banhe-se com sabonete de hortelã; use talco de hortelã para os pés. Existem algumas receitas com menta que podem ser testadas. Eis alguns exemplos:
Folhas Doces de Menta
Iogurte de Melancia com um Toque de Menta
Chá de Menta
Bebida Irlandesa de Creme de Chocolate Mentolado
Sopa Refrescante de Ervilhas com Menta
Trufa de Menta
Pesto com Manjericão, Menta e Laranja
Chocolate amargo com Folhas de Menta
Pudins Aloo (Batata com Molho de Menta
Sanduíches de Ervilha e Menta
Use pepinos. Fatie um pedaço fino de pepino gelado e coloque-o em sua nuca! Isto é fantástico em dias de calor ou quando se está preso em um carro quente. E os efeitos são imediatos! Um cubo de gelo ou uma lata de refrigerante gelado podem funcionar do mesmo modo, apesar da adstringência do pepino ser mais refrescante para as pálpebras.
Coma alimentos picantes. Não é à toa que pessoas nas regiões mais quentes do mundo preferem tais tipos de refeição. Os alimentos picantes aumentam a transpiração, que evapora e refresca o corpo. Além disso, há uma liberação de endorfina – algo muito prazeroso e que pode lhe ajudar a esquecer do calor.

 Desça as escadas e deite no chão. O ar quente sobe (visto sua baixa densidade), estando uma camada acima do ar gelado. Caso esteja em casa, fique abaixo do ar quente. Vá em direção ao seu porão ou fique no primeiro andar. Quanto mais próximo do nível do solo, melhor.

 Tente usar um sistema de snorkeling contra o calor. Pegue um copo e encha-o com gelo. Traga-o para perto da boca e sopre o gelo. O ar soprado no copo resfriará drasticamente, e possuindo apenas uma saída (que está na direção de seu rosto), ele acaba retornando e refrescando sua pele.
Para um sistema de snorkeling mais eficiente, aponte um ventilador em direção a um conjunto de quatro copos cheios de água gelada e cubos de gelo. O ar frio não terá muitas opções para escapar, a não ser para o ambiente. A cada noite, congele os cubos novamente e abra as janelas.

Pense frio. Leia livros sobre pessoas que escalaram o Monte Everest ou que visitaram a Noruega. Assista a filmes como “A Marcha dos Pinguins” e “Era do Gelo”. Você não se refrescará fisicamente, mas não é impossível o surgimento de um efeito placebo a partir da visualização mental de ambientes gelados.


Descanse inteligentemente. Use estas dicas para relaxar e se refrescar simultaneamente:
Sente-se. Não tente se abanar – a movimentação só piorará o calor. Descanse até a noite chegar.
Sente na sombra. Encontre uma área com sombras e tenha consigo um climatizador de ar que possa se conectar a uma mangueira. Refresque-se com a ajuda do aparelho e da natureza.
Evite o horário de pico do sol. Evite sair com os amigos em climas extremamente quentes, e evite a luz do sol entre 10h00min e 15h00min, momento em que os raios solares estão mais fortes. Se tais regras forem obedecidas, queimaduras solares não aparecerão.

fonte: http://pt.wikihow.com