data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O que esperar de Novo para 2014!!

Difícil a inspiração ao pensar no novo ano que por aí vem.  Difícil porque se termina em geral o ano com o cansaço acumulado de tudo o que foi vivido, trabalhado, sofrido e frustrado, defraudado, perdido.  E, no entanto, é preciso tentar animar-se, reerguer-se, preparar-se.  Pois dentro de poucos dias ele estará aí... 2014, um ano a mais.  E haverá que vive-lo.

E como vive-lo sem esperança?  Sem essa abertura de coração para a surpresa que deve caracterizar todo fim de ano?  Sem essa expectativa de que tudo será melhor, como enfrentar a longa sucessão de mais de 300 dias que se desdobra à nossa frente?  Como acolhe-la, saudá-la, beber champagne à sua chegada?

 O fato é que, como dizia o poeta maior, Carlos Drummond de Andrade, “Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto de esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver. Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.”

Pois então vamos lá.  Sigo o poeta e penso: em lugar de esperar que aconteça, o que devo fazer para que o ano seja novo?  O que em mim tem que nascer, renascer, ser recriado para que o Ano tenha cheiro e gosto de manhã e não sabor murchado e dormido de anteontem?

Creio que a primeira coisa é sacudir a poeira dos hábitos e acomodações instalados em meu interior.  Com a idade vamos ficando ranzinzas, acostumados a certas coisas, horários, atitudes, seqüências...Tentarei deixar que os mais jovens – filhos, netos, alunos - baguncem minha vida e meus esquemas.  Que inventem e reinventem horários, prioridades, posição de móveis, ordem de alimentos, programas.  Deixar-se surpreender e passar o bastão de comando deve serbom.  Agora é a vez de eles inventarem a vida.  Quem sabe não a inventam melhor do que eu?

Depois em seguida vem a atenção à minha renovação particular.  Já que o tempo passa e certo declínio é inevitável, é bom no Novo Ano fazê-lo ao menos mais trabalhoso.  Renovar-se fisicamente, com atenção, carinho e cuidado ao irmão corpo para que o mesmo não pife.  Alimentá-lo saudavelmente, movimentá-lo para que não chie com artrites e males afins.  Ou chie menos. Cuidar-se, respeitar os ritmos do corpo, ouvir suas queixas e clamores.  Para oferecer aos outros uma presença mais tranqüila e menos incomoda.

Em seguida, e não digna de menos atenção, está a renovação interior, que anda muito descuidada e negligenciada.  O acúmulo de trabalho acaba sempre obstruindo veias e artérias da integridade intelectual e sobretudo espiritual.  O ativismo é febril e chega a sufocar.  No cansaço que marca este fim de ano, quem sabe não tento no ano que vem discernir melhor os compromissos, separar tempo em quantidade adequada para a leitura, a oração, o lazer.  E assim não atravessar madrugadas ou passar noites insones para dar conta de tudo.

Renovar igualmente o cuidado com as relações.  Refazer laços antigos que por alguma razão afrouxaram ou ameaçam romper-se.  Cuidar com especial atenção dos novos amigos que ainda são plantas frágeis no jardim da vida e merecem olhar mais profundo e comunicação mais intensa.  Incluir os distantes e os tristes, os sozinhos e os abandonados, aqueles que não percebemos que foram se afastando porque não podem mais participar das nossas circunstancias por vários motivos: falta de forças, de dinheiro, de tranqüilidade...enfim todas as faltas que cavam em nós abismos intransponíveis.

E se tudo isso não conseguir ser feito, a portar ali onde sou sempre esperada e onde meus tantos anos já tão vividos são sempre renovados por um amor que jamais se desgasta, diminui ou envelhece.  Em Deus que é sempre novo e que a cada manhã me desperta como um Pai, ou um noivo, ou um Amigo maior dizendo-me que a vida me espera e que sou sempre convidada a vivê-la intensa e plenamente. Feliz 2014 para todos e todas!
fonte: http://amaivos.uol.com.br

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Cinco dicas para acertar no brinde de Ano-Novo



Virada de ano pede festa, alegria e muita comemoração. E quando o assunto é comemoração, o vinho não pode ficar de fora. Ainda mais o bom e festivo espumante que encanta a todos com suas borbulhas divertidas. Mas para aproveitar todo o potencial dessa bebida é importante ficar atento a alguns pontos. A começar pela escolha do rótulo, confira cinco dicas que tornarão o seu brinde de ano-novo ainda mais especial!

1 – Escolha o espumante pela doçura

As palavras brut, demi-sec e extra-dry que geralmente aparecem nos rótulos dos espumantes indicam a quantidade de açúcar existente em cada litro da bebida. O primeiro possui até 15 g de açúcar por litro. O extra-dry, geralmente mais seco, aceita de 12 g a 20 g de açúcar por litro. Já o demi-sec tem doçura bem intensa, com entre 33 g e 50 g de açúcar por litro.

2 – O tipo de espumante determina as melhores harmonizações

O mais versátil de todos os espumantes é, sem dúvida, o brut, que acompanha do coquetel (incluindo saladas, frituras e carnes leves) ao prato principal. Massas com frutos do mar, risoto de aspargos ou até mesmo queijos variados farão bonito ao lado deste espumante. O extra-dry vai bem com pratos mais ácidos ou gordurosos como ceviches, saladas, ostras e carnes leves com molhos cítricos. Para a sobremesa, prefira os demi-sec.

3 – Sirva na temperatura correta

Espumantes simples devem ser servidos entre 6°C e 8°C, enquanto os safrados, que possuem mais corpo e complexidade, precisam estar um pouquinho mais quente, entre 9°C e 12°C para mostrarem seus aromas e sabores. Na hora de gelar, esqueça o congelador. Prefira um balde de gelo com água para resfriar a bebida aos poucos, uniformemente.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Crônica de Natal! CAIPIRA!

l
Monólogo do Natal - Aldemar Paiva

Eu não gosto de vancê, Papai Noé!
Tamém não gosto desse seu papé de vendê ilusão pra tar
da burguesia.
Se os meninu pobre da cidade soubessem o desprezo qui
o se tem, pelos humirde, pela humirdade eu acho que eles
jogava pedra em sua fantasia.
Você talvez vancê nem se alembra mais.
Eu cresci, me tornei rapaz, sem nunca me esquecê,
daquilo que passô.
Eu lhe escrevi um biete, pedindo um presente a noite
inteira eu esperei contente, chegou o sor, mais vancê
num chegou.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Elabore suas metas para 2014!



Fim de ano é um momento especial para comemorar as novas conquistas e elaborar novas metas para o ano vindouro.
         Claro que não alcançamos tudo aquilo que desejamos para este ano que chega ao fim, mas na certa avançamos um pouco mais e para ter um 2014 muito melhor metas precisam ser estipuladas para nos dá um norte a seguir.
         A seguir algumas dicas para você elaborar o seu próprio mapa que você deseja percorrer para alcançar seus novos objetivos:

1)   Pegue uma folha de papel ou mesmo no seu notebook, computador ou tablet ou mesmo smartphone e anote suas metas uma a uma.
2)   Sonhe alto e estipule metas ambiciosas para que as mesmas lhe deem um incentivo a mais para você seguir firme e forte, pois metas fáceis de serem alcançadas não nos dá ânimo suficiente para vencermos os obstáculos que vamos encontrando.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

9 tradições de Ano Novo e seus significados

Usar roupa branca, tomar vinho e guardar as sementes de romã: descubra o significado dessas e outras mandingas 

 

 

 Chega o Réveillon e a proposta é sempre a mesma: começar o ano renovada, cheia de boas energias e mudanças. Para isso, tem muita gente que recorre a mandingas e seguem tradições que prometem sorte, amor, dinheiro e por aí vai. Mas você realmente sabe o significado de todas elas? 

Se não sabe, a gente ajuda. Veja as tradições mais comuns de Ano Novo:
- Presentear Iemanjá: flores, sabonetes, velas ou qualquer outra oferenda a Iemanjá na virada do ano faz com que todos os problemas sejam levados ao fundo do mar, e devolvidos em forma de ondas, resultando em sorte para o ano que está por vir.


 - Romã: coma sete sementes de romã e guarde-as com você na carteira até o próximo Réveillon se estiver visando dinheiro. O número sete é muito importante quando você faz simpáticas, pois além dos sete chacras, ainda tem sete dias da semana.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Até que idade, a criança deve acreditar em papai Noel?




Meu filho tem 4 anos e quer saber se Papai Noel existe. Sempre digo que sim, pois acho importante prolongar a magia da infância. Não sei se com isso acabo infantilizando meu garoto e fazendo com que ele pareça bobinho diante dos colegas." (pergunta enviada por leitora)
 
Até os 6 ou 7 anos, a fantasia está no comando. Nada mais natural, portanto, do que estimular seu filho a acreditar no Papai Noel. Além de proporcionar bons momentos em família, essa crença é uma ótima aliada na transmissão de valores fundamentais ao desenvolvimento dos pequenos. Personagens como o Papai Noel, o coelho da Páscoa e alguns super-heróis (bem selecionados, claro!) alimentam a imaginação das crianças e as ajudam a lidar com a realidade. Por meio desses personagens, elas experimentam uma sensação de poder e competência para enfrentar situações que ainda não compreendem totalmente ou que lhes parecem assustadoras e dolorosas.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

5 Dicas para acabar com o estresse desse Natal, e do Ano que vem..também



Se você está se sentindo meio assoberbado este mês, não é à toa. De acordo com um estudo norte-americano, 80% das pessoas ficam na expectativa de uma temporada de festas estressante.
“O problema é o efeito cumulativo”, diz Daniel L. Kirsch, Ph.D. e presidente do Instituto Americano do Estresse. “Todos fazem mais coisas estressantes como viajar, gastar dinheiro na compra de presentes e passar mais tempo em companhia de familiares distantes.”
Médicos e pesquisadores ensinam os outros a administrar o estresse, mas que estratégias usam em suas vidas? Aqui, especialistas revelam o que fazem para desestressar:


1. Coma melhor

Muita gente sobrecarregada pelo estresse come em excesso para se sentir melhor. Por quê?
“É a necessidade psicológica de tentar equilibrar, com algo positivo, as frustrações”, diz Brian Wansink, Ph.D., psicólogo alimentar. “Não é fome. Você precisa sentir que está se mimando.”
Em seu laboratório de pesquisa alimentar, Wansink descobriu que quem adora lanchinhos e come um quarto da quantidade costumeira, e em seguida se distrai, sente-se igualmente satisfeito e até mais feliz depois de 15 minutos do que quem comeu a porção toda. É um truque que Wansink pratica em casa.
“Eu me sirvo de um quarto do que realmente quero e depois retorno um telefonema ou arrumo a gaveta das meias”, diz ele. “O estômago não se lembra de quanto comemos. Ele sabe que você queria chocolate e lhe deu chocolate.”

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Você tem medo de envelhecer? De relacionar-se? de Falar em público? Medo de Avião? Conheça a solução..

O lado positivo do medo é alertar em momentos de perigo. O negativo é que muitas vezes ele está relacionado a suposições e ilusões. Conheça as fobias mais comuns e as dicas para superá-las.


Medo de relacionar-se


Causa
"Vem do receio de criar vínculos, de sofrer o abandono e de perder a liberdade, dentre outras implicações que podem surgir de uma relação de amor ou de amizade", diz o psicólogo Fernando Elias José (RS).

Efeito
A pessoa não se envolve com ninguém, ou só o faz superficialmente a fim de se prevenir do sofrimento.

Solução
"Analise o que provoca esse medo para enfrentá-lo", aconselha o psicólogo. Lembre-se de que nenhum relacionamento é igual a outro. Use a experiência que teve para avaliar os erros cometidos (por você ou pelo outro) e fazer diferente. Também não vale se basear no sofrimento vivido por amigos. Evite as comparações e permita-se formar laços, que tornam a vida melhor.


Medo de viajar de avião

Causa
Basta uma turbulência para a mente vagar e buscar registros de grandes acidentes aéreos. Esquecemos, porém, que eles são noticiados à exaustão justamente por acontecerem com pouca frequência.

Efeito
Dá para imaginar não viajar para um lugar paradisíaco ou não ir a uma reunião de trabalho em outro estado (ou país) por causa do medo de avião?

Solução
Entenda que o avião é um meio de transporte seguro e que acidentes podem acontecer com qualquer veículo. Segundo a Infraero, empresa pública que administra os aeroportos brasileiros, no ano passado, 172.536.852 pessoas voaram no Brasil. E nenhum acidente ocorreu com os voos comerciais de passageiros. No mesmo período, só na capital paulista, foram registradas 1.231 mortes em acidentes de carro. Se você não se abala com as estatísticas, chegue cedo ao aeroporto para evitar o estresse de atrasos, leia um livro na sala de embarque, ouça um som ou veja um filme durante o voo para se distrair. E não tenha vergonha de chamar um comissário se o medo apertar - ele poderá acalmá-la.


Medo de falar em público


Causa
"É comum pessoas tímidas, inseguras ou perfeccionistas travarem. O medo de se expor é resultado do receio de serem julgadas ou rejeitadas pelos outros", aponta o psicólogo Fernando. Elas demonstram um desejo de atender as expectativas próprias e as de quem as cerca.