data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Crise de Relacionamentos - Saiba como evitar


O relacionamento começou e está tudo uma maravilha. Finalmente você beijou o sapo e ele virou um príncipe encantado que galopou em seu cavalo branco até o castelo e levou você nos braços. Tudo parece um verdadeiro conto de fadas, não é? Mas ai, vem a bruxa má.  Existem maneira de evitar que  detone o seu sonho encantado, mas não pense que vai ser fácil derrota-la. Com armas e escudos, tudo se pode ser levado a diante. Não bastante vencer uma batalha, é preciso ganhar a guerra!



Para que um relacionamento entre em crise, várias coisas podem ocorrer. Descobrindo todas as causas que podem levar a iminência do fim, algumas soluções poder vir a tona. Por exemplo, se a relação está enjoada, inove! Abaixo, você confere algumas das causas que podem levar a crise .

1. Se Acabou o Papo na Cama

Os estudos indicam que logo após engatar um relacionamento e ter a primeira vez juntinhos, 68% dos amantes se tocam e conversam depois da relação sexual. Cinco anos se passam e metade dessa percentagem ainda cultiva o hábito. Porém, a partir dos 10 anos de relacionamento, as pesquisas indicam que a maioria dos casais não conversa mais após o sexo. Essa quantidade, na verdade, só representa um terço do valor inicial e somente este número consegue conversas sobre a relação depois do ato. O resto, vira para o lado e dorme!

Isso acontece porque o tempo é um grande inimigo das relações. Inicialmente  todos temos interesse no parceiro. Quando a relação já tem mais de dez anos, as preocupações começam a se voltar para si e o hábito de agradar o seu amor acaba sem nem você sentir.
O homem que já se contenta com a presença física é diferente da mulher neste aspecto. As mulheres são mais sensíveis e gostam de falar após o sexo. Essa diferença de comportamento pode gerar muitos conflitos ao longo do tempo e se torna mais um motivo para que o sexo seja, na verdade, um grande empecilho para a relação caminha adiante, além dos dez anos que já se passaram.
Para mudar isso, é óbvio que existe uma solução: Se não quer perder o contato sexual, tente sempre agradar durante a pós o ato. É preciso se esforçar, mas nunca é tarde para recuperar o tempo perdido.

2. Falta Criatividade?

Com 10 anos de namoro, o casal já fica cansada do tentar sempre algo novo, seja no sexo ou no dia a dia mesmo, durante a convivência afetiva. Os estudos sobre o assunto não mentem: “Até o primeiro aniversário de namoro, 25% das entrevistadas testam novas posições algumas vezes em um mês. Esse número despenca para 15% depois de cinco anos. Depois dos dez anos, apenas 11% experimentam novidades” dizem os especialistas.
Tudo isso só acontece por um motivo: Com o tempo, ambos já sabem do que o outro gosta e acabam perdendo a vontade de inventar e experimentar coisas novas. Na verdade, o casal começa a se acomodar na intimidade que eles já tem.
Um dica: não ligue o piloto automático. A paixão não pode se apagar! Invente, inove, busque novas experiências intimas e cotidianas. Há sempre algo novo a se descobrir sobre alguém, o que tornará a relação ainda mais interessante ao invés de joga-la para o fundo do poço.

3. Dinheiro Junto

Em três anos de relacionamento, as pesquisas já indicam que 75% das mulheres possuem conta bancária separada do parceiro. Passou-se dez anos e essa quantidade cai para 65%, o equivalente aos casais que tem apenas uma conta: a conjunta.
Muitos acham que para se formar um relacionamento, é preciso ter segurança financeira acima de tudo. Juntam casa, roupas, cama e até mesmo o dinheiro. Na verdade, essa atitude é um tanto quanto precipitada.
Candace Bahr, co-fundadora do Women’s I nstitute for Financial E ducation, afirma que o melhor, mesmo que o namoro ou casamento estiver indo bem, é manter a conta bancária separada. Isso também é uma forma de mostrar que você é independente, mesmo se a relação acabar ou não. Mantenha certas características que você possuía antes como a sua individualidade.

4. Sem Tempo para si

Lembram-se da individualidade? Ela terá que ser mantida aqui também. Nos primeiros anos de relacionamento, os estudos indicam que 10% das mulheres exigem passar um tempo sozinha. Depois de dez anos de namoro, esse número sobre para 23%.
Nancy O’Reilly, da Associação Americana de Psicologia, diz que as mulheres tendem a se dedicar ao marido, filhos e afazeres domésticos nos primeiros anos de relacionamento. Porém, com o passar do tempo, ela percebe que não está sobrando tempo para si mesma e nem para os seus cuidados pessoais. Mesmo que o casal tenha interesses em comum, é hora de voltar-se para si e se redescobrir. É interessante lembrar que querer um tempo para si não representa uma crise conjugal e sim uma necessidade de autoconhecer-se novamente, além da relação.
Uma dica é sempre dar espaço para as suas próprias ambições e não misturar interesses pessoais com os amorosos. Uma vida que se leva em 100% de comum acorde não revela surpresas. A relação fica bem mais interessante quando você se surpreende  não é? Nem que seja consigo mesmo!

5. O Problema da Louça
Em dez anos de relacionamento, quase 80% das mulheres afirmam que os homens não gostam de dividir as tarefas domésticas. Haja tanto machismo!
Michelle Janning, professora de sociologia da Faculdade Whitman, em Washington, as mulheres foram criadas e orientadas desde de pequenas que elas são as responsáveis pelos afazeres domésticos. Isso não é verdade. Muitos homens ainda acham que as mulheres nasceram para lavar louça, passar roupa e limpar privada.
O mais importante disso tudo é sempre dividir as tarefas e se organizar para que ambos façam um pouquinho de cada coisa dentro de casa. Enquanto um vai fazer as compras do mês, o outro pode aspirar o pó dos cômodos. Isso pode dar muito certo e você não vai se sentir vítima do machismo ainda predominante!

fonte: http://casamento.culturamix.com/