data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

terça-feira, 7 de maio de 2013

Elas falam: relacionamento aberto é curtição; se apaixonar é proibido




Encontros calorosos sem compromisso, ligar só quando tiver vontade e não deixar de aproveitar nada da vida por outra pessoa. As características de viver um relacionamento aberto agradam ao público masculino e, dependendo da fase em que a mulher estiver, também pode fazer parte da realidade feminina, de acordo com as entrevistadas pelo Terra. “Para ter um relacionamento assim você tem que estar na fase do desapego, curtição, querendo viver a vida e nada mais”, explicou a assistente contábil Thalita Santos.



Quando o objetivo é não entrar em uma relação séria, os encontros casuais são uma saída para as mulheres. A analista de comércio exterior, Jacqueline Siqueira, por exemplo, atualmente é noiva, mas se terminasse o compromisso não teria problemas em mergulhar no tipo de relacionamento, pois não iria querer “algo sério tão cedo”.  Em momentos de transição casos sem compromisso evitam que uma das partes se magoe, disse a educadora física Graciela Gregnanini . Mas, o “lance”, deve ser só “curtição”, “sem assumir nada”, condicionou a estudante Karina Oliveira.

“Esse negócio de namoramos e podemos ser livres para ficarmos com quem quiser, não rola”, ressaltou Karina. As razões para elas optarem pelo tipo de relacionamento são querer se divertir, não precisar dar satisfação, não ter que manter as aparências, fazer o que tiver vontade a qualquer hora e sair com amigos sem alguém dar ter crises de ciúmes. Portanto, sentir ciúmes e fazer cobranças estão fora de cogitação. “Envolvimento demais, briguinhas de casal e ‘DR’ são proibidíssimos, afinal é um relacionamento aberto”, completou Jacqueline.

Elas falam: mulher quer casar e homem avesso a matrimônio não serve

A produtora Nathalia Vieira como sabe que é ciumenta não arriscaria o tipo “moderno” de relação. “Não aguentaria pensar que a pessoa que eu gosto pode estar com outra. Não iria conseguir encarar essa situação com naturalidade”, contou. Por isso, ela considera impossível ter encontros descompromissados se existir sentimento entre as duas pessoas. É o mesmo que as demais entrevistadas afirmaram. “Rolou sentimento de verdade, acabou o tal relacionamento aberto”, resumiu Jacqueline.

“Tenho meu paquera com quem fico quando dá, sem envolvimento profundo”, contou Karina. Ela, que vive a situação, sabe que a única coisa que não pode acontecer é “se apaixonar”. “Não é fácil ter relacionamento aberto com sentimento. Acho que os dois precisam saber o que se passa, para não ter cobranças como se tem em um compromisso”, disse Graciela que já viveu a experiência.  “Antes de entrar em um relacionamento aberto você tem que estar mais do que ciente das 'regras do jogo', caso contrário é melhor nem brincar”, completou Thalita.

Prazo de validade


Um relacionamento aberto pode se transformar em namoro, segundo elas

De acordo com as entrevistadas, o relacionamento aberto segue até o momento em que uma das partes se apaixona ou desiste da situação. “Não tem um tempo determinado, é até alguma das partes cansar do acordo e resolver desistir ou achar um novo amor”, disse Nathalia. “É como eu dizer que não quero um namorado e amanhã aparece um cara que vira com a minha vida e pronto, foi”, exemplificou Karina.

Também existe a possibilidade da transformação do tipo de relação. “Vê que não dá certo porque gosta da pessoa e acaba se tornando um compromisso”, contou Nathalia. “Um relacionamento aberto nada mais é que um conhecendo o outro”, disse Graciela. Para isso acontecer, é preciso sintonia e entrega do casal, disseram as entrevistadas.
pesquisa: http://vidaeestilo.terra.com.br/