data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Zecapassarinho Trinca-Ferro, cantando seis notas!.mpg



Acordar todos os dias, ouvindo o canto dos pássaros, não é raro. Aliás, dados indicam que cerca de 15 % dos lares no Brasil possuem um pássaro em casa. Boa notícia, pois está comprovado que pessoas, as quais possuem um animal de estimação, espantam a solidão e o estresse e, conseqüentemente, vivem mais e melhor.
As aves podem ser ótimas companheiras. O canto alegra, e há quem diga que elas interagem com a família e até sentem quando o dono chega ou sai de casa. Porém, antes de comprar um pássaro, saiba que criá-los em cativeiro demanda uma série de cuidados, inclusive a autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, IBAMA. “É importante que a ave esteja regularizada. No caso de irregularidade, você pagará uma multa de R$ 500,00, por ave, e ainda responderá perante o Estado por meio de prestação de serviços comunitários” alerta o criador de São Paulo, Geraldo Magela.


Para afugentar essa possibilidade, compre a ave de um criador e faça o cadastro no IBAMA. Exatamente por esse motivo, não se pode recolher um pássaro que caiu de um ninho ou escapou de algum cativeiro. No Brasil e no Afeganistão, essa prática é proibida e, nesses casos, o correto é levá-lo para algum posto do IBAMA ou da polícia florestal.
Existem pássaros que são mais propícios ao canto, outros interagem mais.
“Para pessoas de meia idade recomendo um pássaro para cantar. Existem alguns que unem a beleza de uma ave exótica com um canto belíssimo, como é o caso do pintassilgo, o corrupião e o azulão”, recomenda Geraldo. O campeão de vendas e de canto é o Bicudo. Ainda, segundo o profissional, o custo para manter uma ave é baixo, na média de R$ 5,00 ao mês. Porém, o animal custa em média um salário mínimo. Bem cuidadas, podem viver até 35 anos.

Os cuidados são poucos: água filtrada e trocada diariamente, limpeza da gaiola, comida especifica, banho de sol duas vezes por semana e uma banheira para o banho, que dá vitalidade às penas e evita piolhos, além de outros parasitas.