data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Falsos Médicos!!!! ALERTA







Nós vimos na última semana uma série de denúncias contra estudantes de medicina atuando como médicos. Os casos foram detonados por causa da morte da menina Joanna Cardoso Marcenal, de 5 anos. Depois de passar mal ela foi atendida por um estudante de medicina e, mesmo desacordada, foi liberada. Dois dias depois Joanna foi levada para um outro hospital. E no dia seguinte,foi internada, mas já estava em coma.

Com uma câmera escondida, o
Mais Você esteve em faculdades de medicina do Rio de Janeiro para entender como alunos fazem plantão no lugar dos médicos. Ninguém admite ter feito isso. Mas alguns confirmam que colegas recebem cerca de R$ 200 por plantão de 12 horas durante o dia. Se for à noite ou fim de semana, o valor aumenta um pouco.

Mas como um aluno consegue um carimbo para receitar um medicamento? A polícia diz que em alguns casos o próprio médico empresta o carimbo pra esse aluno. Em outros o aluno consegue fazer um carimbo com número do CRM falso.


A repórter Jaqueline Silva esteve em papelarias perto de uma faculdade de medicina e conseguiu um carimbo sem dificuldades. O assunto tem sido muito discutido nas faculdades e hospitais desde que um estudante atendeu a menina Joanna e ela acabou morrendo.

Depois desse caso, o número de denúncias de falsos médicos trabalhando em hospitais mais do que dobrou, segundo a delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Saúde Pública. O delegado diz que esses alunos são aliciados dentro das salas de aula e durante o estágio em hospitais.

Frente a tudo isso fica a dúvida: como o paciente pode ter segurança de que está sendo atendido por um profissional formado? O presidente da Federação Nacional dos Médicos lembra que qualquer um pode exigir a carteira do conselho regional de medicina.


Para falar sobre o assunto, Ana Maria recebeu a vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro, Vera Fonseca. Segundo ela é muito difícil que a população se proteja. “Quando você marca uma consulta com antecedência é mais fácil entrar na internet e procurar os dados do médico. Mas em uma emergência você já chega necessitando de atendimento imediato. Então cuidados que nós podemos ter é, quando chegar, perguntar o nome do médico, ver como ele se identifica e ver a prescrição. A paciente deve ver se a receita e, se desconfiar, entre em contato com o Conselho Regional de Medicina”, explicou.

A médica disse que sente uma profunda tristeza ao ver casos de falsos médicos atuando no país. “O sistema público de saúde ainda está longe de chegar ao ideal. Temos poucos concursos públicos, por exemplo. A nossa população merece um atendimento de qualidade”, falou Leila.


Serviço:
www.cremerj.org.br

Tel da ouvidoria:
(21) 3184-7142
Mais Você