data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Saber ser Importante!

Uma das maiores motivações humanas é saber-se importante.

Não me refiro àquela “importância” dos abastados e poderosos. Essa é fútil, porque se impõe pela riqueza ou pelo poder – e acaba quando essas coisas acabam.


Refiro-me à importância imaterial da sua utilidade, do seu valor pessoal, da qualidade da sua essência e da sua existência. Aquela que é construída pelo Ser e não pelo Ter . Essa importância é que é verdadeiramente importante, porque o Ser é perene e o Ter é passageiro.


Quer um exemplo? Lembre das pessoas que tiveram mais importância na sua vida. Você descobrirá que muitas delas foram, simples, humildes, modestas – mas tremendamente valiosas pelo que lhe ensinaram de bom, pelas marcas e mensagens positivas que deixaram em você. Tantos anos já podem ter se passado, mas a importância delas para você continua presente até hoje.


Se você ouvir: “ Fulano é importante ”, significa que Fulano tem poder, fama ou riquezas. Mas se você ouvir: “ Fulano é importante para mim ”, significa que Fulano tocou seu coração pela solidariedade, companheirismo ou afeto – embora não precise ser rico, famoso nem poderoso.




Em suma, ser importante é ser útil, é saber que ocupa com mérito e direito seu espaço na vida.


O mais maravilhoso de tudo isso é que cada um nós pode fazer alguém sentir-se importante. Todo dia. Várias vezes ao dia. Basta reconhecermos e declararmos explicitamente seu valor e sua importância para nós.


O mundo anda cheio de pessoas carentes e ressentidas porque as outras se esquecem dessa ação singela de deixar que elas ouçam ou percebam como são ou foram importantes para nós, num determinado momento.


Lembra-se de como foi importante aquele sujeito que lhe ensinou uma direção segura, quando você estava perdido numa rua desconhecida? Ou aquele que, sem conhecê-lo, emprestou-lhe um dinheiro – ainda que muito pouco – o suficiente para completar a conta do supermercado, do ingresso do cinema ou da passagem do ônibus? E o que dizer daquela senhora desconhecida que o amparou e providenciou um copo de água quando você sentiu-se mal na fila?


Nessas e em muitas outras ocasiões, a gente costuma dizer um rápido “ muito obrigado ”, para logo em seguida esquecer a importância e a beleza daquele ato voluntário, o qual certamente mereceria um agradecimento menos automático e muito mais caloroso, mais humano. Aquelas – e muitas outras - são pessoas que, embora tenham sido importantes, passam pela nossa vida sem maiores registros afetivos e logo são esquecidas.


No entanto, é muito mais fácil lembrar aquelas que fazem o oposto, que o desqualificam ou o ignoram, em ações opostas à arte de fazer o outro sentir-se importante. E isso acontece com freqüência porque, ironicamente, a crítica flui com muito mais facilidade da boca humana do que o elogio – e assim as pessoas vão deixando de se sentir importantes.


No mundo corporativo, os gestores têm às mãos uma ótima oportunidade de fazer cada membro de sua equipe sentir-se importante: é durante o chamado “ feedback ”, ocasião em que é manifestada sua opinião sobre o desempenho do colega.


O feedback não foi criado para ser um instrumento de crítica e desqualificação. É justamente o contrário: deve ser uma oportunidade para identificar as competências que devem ser aperfeiçoadas. Mas, sobretudo, deve ser um instrumento para reconhecer e expressar a importância daquela pessoa na equipe – porque se não o fosse, não deveria estar na equipe. Se está, é porque é importante, ainda que precise desenvolver algumas habilidades ou conhecimentos.


Como feedback não tem dia nem hora para ser dado, isso significa que qualquer gestor pode fazer com que, frequentemente, qualquer membro da sua equipe se sinta importante – de preferência todo dia.


Eu não tenho a menor dúvida de que cada leitor tem um monte de gente importante à sua volta – em casa ou no trabalho. A questão é: eles sabem disso? Você já lhes disse?


Se você fizer a sua parte, você também vai se tornar muito importante para alguém. E ao sentir como isso é gratificante, você certamente vai querer compartilhar esse sentimento e fazer com que outros sintam a mesma coisa. Chame a isso de “efeito dominó” ou “bola de neve”. Não importa o nome, importa a ação.


Talvez a origem fundamental desse sentimento de prazer ao nos percebermos importantes esteja na consciência definitiva de que, em resumo, importante é aquele que cumpre com dignidade a sua Missão.


 
Referência: Guia RH
Autor: Floriano Serra

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Qual é a melhor atividade, correr ou caminhar?

Enquanto uns acreditam que a caminhada é a melhor maneira de manter o físico e a saúde “em cima”, outros preferem a corrida diária, pois não abrem mão da velocidade nos movimentos. O ideal é não ficar parado.
Mas qual é a melhor opção?  Caminhar ou correr?

O importante é saber que ambas são atividades prazerosas e fazem bem ao corpo e à mente. Porém, existem muitas questões a respeito da forma de praticar e vantagens de uma sobre a outra no sentido de emagrecer e conseguir um melhor condicionamento físico.

Segundo o professor de educação física, Marcelo Teixeira, as duas atividades físicas proporcionam um melhor condicionamento cardiorrespiratório, fortalecem os músculos dos membros inferiores e favorecem na eliminação de gorduras.  Mas é preciso ficar atento aos riscos e às contra-indicações dessas atividades.
A caminhada, por sua vez, é recomendada especialmente para iniciantes, gestantes e idosos, por ser de fácil execução, e não exigir nenhuma habilidade especial. No entanto, é necessário ir devagar e aumentar o ritmo e a duração gradualmente.

“O ideal é começar a se exercitar três vezes por semana, durante 20 minutos cada dia, e então ir aumentando o tempo de acordo com seu desempenho, a fim de que possa usufruir dos benefícios fisiológicos e também obter uma sensação de bem-estar da atividade”, explica Marcelo Teixeira.
Miralva Santos, 57 anos, caminha 50 minutos diariamente há mais de dois anos. Para ela, essa atividade ajuda a manter os músculos do corpo ativos. “Caminho para não enferrujar, porque sei que é bom, tanto para a saúde quanto para a mente”, conta.


Como correr


Correr é tão eficiente quanto a caminhada para a perda de peso, embora muitos acreditem que o cooper proporciona um resultado mais rápido, e por isso se torna  grande o número de pessoas que acabam optando pela corrida sem saber que é necessário uma avaliação médica anterior para verificar se o preparo físico é o ideal para essa atividade.
É preciso também levar em conta que correr é um exercício de maior impacto, e por isso exige maiores cuidados, como alongar o corpo pelo menos 10 minutos antes da corrida, ter uma alimentação equilibrada, usar roupas adequadas e beber bastante líquido antes e depois dessa atividade, a fim de repor o que foi perdido. São umas das recomendações para se praticar a corrida de forma que ela venha a se tornar prazerosa e segura.

O atleta Rogério de Jesus Ferreira, 27 anos, corre há anos. Ele acredita que a caminhada é a melhor opção para pessoas obesas. “Se a pessoa não tiver um preparo físico antes, ela pode vir a ter complicações e até um infarto. É preciso que o corpo se adéque primeiro àqueles movimentos”, afirma Rogério.
Emiriene Costa

sábado, 25 de setembro de 2010

Pessoa com dupla personalidade e as Dificuldades no relacionamento social

Da mesma forma que outros transtornos dissociativos, o transtorno dissociativo de identidade ou a dupla personalidade pode trazer prejuízos graves ou incapacitação de funções cognitivas e perceptivas para a pessoa.
No entanto, algumas pessoas com Transtornos Dissociativos e com dupla personalidade conseguem relações sociais consistentes e até mesmo empregos altamente com alta responsabilidade, contribuindo para a sociedade em uma variedade de profissões, como por exemplo, nas artes, no serviço público, empresas, etc.
Essas pessoas conseguem manter e assegurar seus contatos sociais parecendo a funcionar normalmente, interagindo com colegas, vizinhos e outras pessoas.
Existe uma grande quantidade de sobreposição de sintomas e de experiências entre os diversos Transtornos Dissociativos, incluindo o transtorno dissociativo de identidade.
É verdade é que as pessoas têm múltiplas personalidades?
A resposta a essa pergunta é Sim e não. 

Uma das razões para a decisão da comunidade psiquiátrica para mudar o nome do transtorno de múltipla personalidade para transtorno dissociativo de identidade é que “múltiplas personalidades” é um termo que transmite uma visão um pouco enganadora.
Uma pessoa diagnosticada com transtorno dissociativo de identidade sente como se ela tem dentro de si duas ou mais entidades, ou de estados de personalidade, cada um com sua própria forma independente de se relacionar, de se perceber, de pensar e de lembrar sobre si mesma e de sua vida.
Se duas ou mais destas entidades assumem o controle do comportamento da pessoa em um determinado momento, um diagnóstico de transtorno dissociativo de identidade pode ser feito.
Estas entidades já foram muitas vezes chamadas de “dupla personalidade”, embora o termo não reflita exatamente a definição comum da palavra como o total do nosso aspecto psicológico.
Outros termos freqüentemente utilizados por terapeutas e psiquiatras para descrever essas entidades são as seguintes: “personalidade suplente”, “Alters”, “parte subliminar”, “estados de consciência alterados”, “ego afirmativo,” e “identidade superior ou inferior”.
É importante manter em mente que, embora estes estados suplentes possam coexistir, eles parecem ser muito diferentes entre si, porém todas estas manifestações estão inseridas numa mesma pessoa que sofre desse transtorno.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Traição

A traição é provavelmente uma das dores mais difíceis de suportar e ultrapassar. Seja num relacionamento conjugal, seja entre amigos, seja de que maneira for, nunca deixa de ser uma espécie de golpe invisível, porém, não menos doloroso.
A pessoa traída fica marcada para sempre, fragilizada, como se alguém tivesse queimado o seu sistema emocional e o pior de tudo, é que por norma carrega sentimentos de culpa, como se a outra pessoa tivesse traído a sua confiança por não ter alternativa, já que viver consigo, ou simplesmente ser seu amigo era “insustentável”.
Trair é um traço de carácter que nada tem a ver com a pessoa traída, mas com a incapacidade do traidor em assumir responsabilidades, compromissos, de entender o quanto fere o seu próximo com os seus esquemas e mentiras. O traidor é alguém insatisfeito consigo próprio e joga com os sentimentos das pessoas, alimentando-se da adrenalina do secretismo e das meias palavras. Pensa que tem tudo controlado, quando na verdade ele próprio é um ser descontrolado! A menos que cresça emocionalmente, será sempre infeliz.
Para quem namora, há algumas características que deve observar para perceber se está perante um potencial traidor, ou traidora:
Mentiras: A pessoa que mente com alguma frequência, mesmo que sejam “mentiras inocentes”, (se é que existem), demonstra que não tem quaisquer problemas em enganar os outros e forjar situações. Se o faz aos outros, um dia também lhe fará si, não tenha dúvidas.
Se for casado(a): Caso esteja a viver uma relação amorosa com alguém que ainda é casado, ou seja, se é amante de alguém, nunca se esqueça que tudo o que essa pessoa lhe diz e lhe promete, um dia também o disse e prometeu a outra pessoa. E não se deixe enganar com a história do “estávamos destinados”, porque a melhor maneira de prever um comportamento futuro é analisando os comportamentos passados.
Abuso Verbal: Se volta e meia sente que está a ser gozada(o), minimizada(o) e que aos poucos está a viver em função dos caprichos do outro e a perder a sua identidade, nem pense casar! Se já estiverem casados, lembre-se que estes sãos os primeiros sinais de alguém que pretende controlar a situação e deixar o outro numa posição de dependência e indefesa. Imponha-se e nunca deixe de ter os seus amigos, nem de fazer o que gosta. Quem nos ama, também respeita as nossas escolhas e a nossa integridade.

Se entretanto ele ou ela já foram embora e sente que o seu mundo desabou, nunca se esqueça que acabou de se livrar de um traidor, ou de uma traidora e que a culpa não é sua! Acredite que podia ser uma das pessoas mais belas e bem sucedidas do mundo que iria ser traída(o) na mesma, porque como já disse, tem a ver com a imaturidade e falta de carácter do outro.
Nunca é preciso trair. Nem sei o que é mais feio, se trair o marido, ou esposa, se trair um amigo… é feio, é uma atitude cruel e egoísta. Limpe as suas lágrimas, levante-se, recomece e sinta-se feliz por ser alguém de confiança!


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Zecapassarinho Trinca-Ferro, cantando seis notas!.mpg



Acordar todos os dias, ouvindo o canto dos pássaros, não é raro. Aliás, dados indicam que cerca de 15 % dos lares no Brasil possuem um pássaro em casa. Boa notícia, pois está comprovado que pessoas, as quais possuem um animal de estimação, espantam a solidão e o estresse e, conseqüentemente, vivem mais e melhor.
As aves podem ser ótimas companheiras. O canto alegra, e há quem diga que elas interagem com a família e até sentem quando o dono chega ou sai de casa. Porém, antes de comprar um pássaro, saiba que criá-los em cativeiro demanda uma série de cuidados, inclusive a autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, IBAMA. “É importante que a ave esteja regularizada. No caso de irregularidade, você pagará uma multa de R$ 500,00, por ave, e ainda responderá perante o Estado por meio de prestação de serviços comunitários” alerta o criador de São Paulo, Geraldo Magela.


Para afugentar essa possibilidade, compre a ave de um criador e faça o cadastro no IBAMA. Exatamente por esse motivo, não se pode recolher um pássaro que caiu de um ninho ou escapou de algum cativeiro. No Brasil e no Afeganistão, essa prática é proibida e, nesses casos, o correto é levá-lo para algum posto do IBAMA ou da polícia florestal.
Existem pássaros que são mais propícios ao canto, outros interagem mais.
“Para pessoas de meia idade recomendo um pássaro para cantar. Existem alguns que unem a beleza de uma ave exótica com um canto belíssimo, como é o caso do pintassilgo, o corrupião e o azulão”, recomenda Geraldo. O campeão de vendas e de canto é o Bicudo. Ainda, segundo o profissional, o custo para manter uma ave é baixo, na média de R$ 5,00 ao mês. Porém, o animal custa em média um salário mínimo. Bem cuidadas, podem viver até 35 anos.

Os cuidados são poucos: água filtrada e trocada diariamente, limpeza da gaiola, comida especifica, banho de sol duas vezes por semana e uma banheira para o banho, que dá vitalidade às penas e evita piolhos, além de outros parasitas.





quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Confira Truques para reacender a paixão!


O desaparecimento do desejo sexual em um relacionamento vai acontecendo aos poucos, com a convivência. Muitos consideram esse o preço necessário por muitos anos de relação e então acabam cruzando os braços diante deste fato. 
Os filhos, o trabalho e a casa são as desculpas mais típicas usadas para justificar uma crise sexual, mesmo sabendo que é possível ser marido, pai e amante ao mesmo tempo.

Definitivamente, o que tem de ser feito é evitar o desgaste da relação, lutar para que não chegue a este ponto em que a única ligação é morar debaixo do mesmo teto. O amor tem que ser um sentimento de comunicação e generosidade e não uma necessidade de cumprir com seu parceiro a posição social imposta pela sociedade. Se você não quer chegar a esse ponto, confira alguns truques para que o fogo da paixão não se acabe.

Os motivos que fazem com que o desejo desapareça podem ter várias causas. Veja algumas:

- Distanciamento dos desejos masculinos e femininos
As mulheres buscam um contato íntimo através do jogo de sedução, carícias, palavras, pele e sensualidade. Sem rodeios, os homens procuram essa aproximação com o único propósito de chegar a relação sexual. Estes diferentes pontos de vista no sexo podem provocar um distanciamento entre o casal. Ela já sabe como vai terminar essa história e por isso não se motiva a procurá-lo; ele não se rende ao jogo sem a penetração e fica sem entender o porque sua parceira começou algo que não queria terminar. Ambos passam a adiar seus encontros sexuais até o momento em que eles desaparecem.

- Cotidiano
A sedução e a paixão são muito valorizadas no início de um relacionamento. Depois, outras situações, como os projetos para o futuro e as preocupações que normalmente surgem, começam a prejudicar o tempo íntimo do casal. A rotina é capaz de destruir o erotismo e o desejo. Depois de um tempo a pergunta que fica é: o que aconteceu com a atração que havia?

- Falta de desejo
A sexualidade, tanto no homem como na mulher, passa por altos e baixos que ambos tem de saber detectar e superar. Não é sempre que se tem vontade, porém, se deixamos a falta de apetite sexual permanecer, uma hora ele realmente não acontecerá mais. Está comprovado que quanto menos relação sexual se tem, menos necessidade há. Uma vez descartados os fenômenos físicos que podem estar prejudicando a relação (por meio de um exame médico), o próximo passo é estudar os fatores emocionais que estão atrapalhando a vida conjugal.

- A chegada das crianças na vida do casal
Os filhos se transformam no melhor preservativo entre uma relação, afinal o contato sexual passa a ser segundo plano, principalmente nos primeiros anos. A responsabilidade e o trabalho exigido pela chegada de um bebê distorce toda a sintonia do sexo entre o casal. Aprender a administrar o tempo entre a família e a intimidade é o segredo para superar esta situação.

- Perda de paixão
A perda da paixão não é o mesmo que a perda do desejo. O sentimento do desejo pode estar oculto mas ele não é transmitido ao parceiro porque isso já não mais o excita como antes. O tempo é um mau aliado e pode transformar os desejos sexuais em objetos de necessidade familiar, igualando o seu companheiro a um irmão, irmã, pai ou mãe. Quando se chega a essa situação, pouco se pode fazer para recuperar a paixão que existia entre o casal.

Truques para um bom sexo
A falta de desejo sexual tem remédio. A inibição do desejo, quando não se deve a fatores físicos, pode ser reconduzido e potencializado. Tanto os homens como as mulheres podem desfrutar do privilégio de desejar e sentir prazer. Quando esta capacidade desaparece, existe um truque para reativá-las. Estes são alguns deles:

- Elimine qualquer elemento de distração
Os filhos em casa, os telefones e a televisão podem impedir qualquer relação sexual. Procure o momento apropriado para poder desfrutar dos prazeres do sexo sem interrupções.

-Seja criativo
Os mesmos lugares e as mesmas horas são elementos rotineiros que matam a paixão. É necessário improvisar, use a criatividade, faça coisas diferentes, mude os hábitos para não cair na rotina. Afaste do pensamento a frase "de novo a mesma coisa".

- Converse sobre suas vontades
A comunicação as vezes é vital para se chegar a ação. Trocar idéias, pontos de vista e fantasias sexuais enriquece o sexo.

- Seduza antes de chegar ao sexo
Um começo interessante, com jogos, palavras, beijos e carícias, asseguram um bom um final. Fazer amor consiste em uma troca de experiências. Ir diretamente ao ato pode acabar com o desejo. Porém, desfrutar a pele do outro insinua sensações infinitas de prazer o que vai levar ao aumento da excitação e o desejo do contato físico.

- Descubra suas zonas erógenas
Limitar a relação apenas aos órgãos sexuais é um erro muito sério. São várias as áreas erógenas do homem e da mulher. Por exemplo, a excitação na mulher pode acontecer com um contato íntimo simples de lábios ou beijos mais apaixonados. A orelha, o pescoço, os peitos, os mamilos e a área ao redor do umbigo, eles também são pontos sensíveis. Finalmente, o clitóris onde é a sensibilidade máxima de prazer durante o ato sexual. Para o homem, as carícias no genital são estímulos que provocam uma excitação imediata. Mas eles também possuem áreas sensíveis como os ombros, as palmas da mão, o tórax e os mamilos. Só é necessário tempo para aprender a tocar esses outros centros de prazer entre o casal.

- Não se pode prender a atenção apenas ao prazer alheio
Será difícil alcançar o prazer se você estiver apenas centrado no prazer do outro, isso tornará a relação sexual não muito satisfatória. É necessário aprender a dar e a receber.

- Afrodisíacos para manter o desejo vivo
Hellen Kaplan, uma das terapeutas sexuais mais reconhecida das últimas décadas, cita os principais afrodisíacos para manter vivo o desejo sexual: tempo, fantasia e amor.



Terra Espanha

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Mentir no currículo e na entrevista pode prejudicar candidato a emprego

Todo mundo sabe que não se deve mentir. Mas tem muita gente por aí que admite: na hora de tentar um emprego apela, inventa que fez cursos, sabe idiomas, aumenta o tempo de experiência.
Mas incluir no currículo mentiras para garantir uma vaga no mercado de trabalho pode virar crime e dar até cadeia. Um projeto de lei está em discussão na Câmara dos Deputados, em Brasília, para punir os profissionais mentirosos.
O ponto de partida para uma pessoa se candidatar a um emprego é o currículo. Lá estão as informações pessoais, a formação escolar e profissional. Um currículo claro e objetivo sempre ajuda na seleção.

O problema é quando o candidato resolve enfeitar o currículo com algumas mentirinhas. O domínio de um idioma, um curso de informática, maior tempo de experiência do que realmente tem. E a mentira no currículo é bem maior do que a gente imaginava. Numa pesquisa feita pela reportagem, a maior parte das pessoas afirma ter escrito mentiras em seus currículos.
O posto de atendimento do Sistema Nacional de Emprego (Sine) no Centro do Rio atende a mais de mil pessoas por semana e encaminha em torno de 600 para vagas de empregos variados. De acordo com os funcionários, 30% dos entrevistados exageram na hora especificar as qualificações. Um problema que acaba prejudicando todo o sistema”, conta a chefe do posto de atendimento do Sine,Claudete Josephino.
Um projeto de lei ainda em tramitação na Câmara Federal pretende tornar crime de falsidade a mentira nos currículos, com pena de dois meses a dois anos de prisão.
A diretora de Recursos Humanos Jacqueline Resch diz que a prática de turbinar o currículo é mais frequente quando os profissionais são jovens em início de carreira. Mas a cultura da mentira acaba por prejudicar os próprios candidatos.
fonte: Bom dia Brasil Rede Globo.
 

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Dicas para reduzir o consumo da agua!

Segue algumas dicas do Projeto Brasil das Águas (www.extremoss.com.br e www.brasildasaguas.com.br)


  • Ao tomar banho: um banho demorado chega a gastar de 95 a 180 litros de água. Banhos curtos economizam água e energia elétrica.




  • Ao escovar os dentes: com a torneira aberta, o gasto é de até 25 litros. Primeiro escove e depois abra a torneira para encher um copo com a quantidade necessária para o enxágüe.




  • Ao apertar a descarga: uma válvula de privada no Brasil chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto. Por isso aperte apenas o tempo necessário.




  • Ao usar as torneiras: uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros de água por minuto e se estiver pingando são 46 litros por dia.




  • Ao lavar louças: lavar as louças, panelas e talheres com a torneira aberta o tempo todo acaba desperdiçando até 105 litros. O certo é primeiro escovar e ensaboar e depois enxaguar tudo de uma só vez.




  • Ao lavar calçadas: muitas pessoas utilizam a mangueira como vassoura, desperdiçando água tratada na lavagem das calçadas. Use a vassoura e quando necessário um balde ao invés de deixar a mangueira aberta o tempo todo. 









  • Ao lavar roupas: apenas use a máquina de lavar quando estiver bem cheia.




  • Ao lavar o automóvel: gasto médio de 560 litros em 30 minutos. Lavar apenas quando for realmente preciso, usando um balde em vez de mangueira, e economiza será de 520 litros.




  • Ao molhar plantas: primeiro, consulte a meteorologia para ver se vai chover! Regar somente o necessário usando um esguicho tipo "revólver", que libera a água só quando adicionado. Armazena a água da chuva para molhar suas plantas. 


  •  



  • terça-feira, 14 de setembro de 2010

    Mulheres não usam óculos por pura vaidade!


     Escrito por Caline Migliato   
     Usar óculos de grau não é coisa de nerd e nem sinal de velhice. Eles podem, sim, ajudar a compor um visual descolado e chique, basta acertar na escolha. Esta é uma informação que a maioria das brasileiras desconhece, segundo uma pesquisa divulgada pelo Ibope este mês. Das 284 mulheres participantes da pesquisa, todas com idade entre 18 e 64 anos, 66% garantem que não conseguem ver seus óculos como um acessório de moda.

    A consultora de imóveis Gisele de Souza Carvalho Miguel, de 47 anos, já descobriu que os óculos de grau podem ser bons aliados na hora de compor um look. "Uso óculos desde os 8 anos e tenho um para cada ocasião: para trabalhar, dirigir e um mais ousado para sair, além de dois modelos de sol, com e sem grau", conta. E tem a dica para escolher o modelo: "Hoje em dia são muitas as opções para todos os gostos. É só escolher aquela que se identifica mais com a sua personalidade", indica.

    O preconceito feminino para com os óculos não é mera questão de estética. Dados da Organização Mundial de Saúde indicam que a falta de correção visual é a maior causa da deficiência visual grave. Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, responsável pelo setor de córneas e doenças externas do Instituto Penido Burnier, em Campinas, interior de São Paulo a pesquisa mostra um paradoxo. "As mulheres deixam de usar os óculos por uma questão de vaidade, mas ao mesmo tempo são super preocupadas com a visão", acredita.

    A pesquisa do Ibope, que consultou mulheres de São Paulo, Belo Horizonte, Rio, Porto Alegre e Fortaleza, indica que elas reconhecem que a proteção contra os raios ultravioleta (UV) oferecida pelas lentes ajuda a prevenir o envelhecimento da pele ao redor dos olhos, além da catarata. E 97% delas também sabem que os raios UV, tanto os solares quanto os da iluminação artificial, podem levar ao envelhecimento da pele dessa região. Mas, contraditoriamente, 60% das mulheres não usam óculos na praia. "A falta de proteção UV aumenta em até 60% a chance de contrair catarata, que é a maior causa de cegueira tratável", diz Queiroz Neto.
    undefined

    Personalidade

    Um dos mais reconhecidos estetas ópticos do Brasil, Miguel Giannini tem sua própria linha de armações e desenvolveu uma técnica para personalizar a escolha delas. Entre seus clientes há várias personalidades, como Ana Maria Braga e Boris Casoy.

    Giannini conta que analisa cuidadosamente o receituário e a personalidade da pessoa, para então começar a testar as diferentes opções em cores, materiais e formas. "Combinar os óculos com cores e roupas é o de menos. Uma armação bem escolhida pode acrescentar na imagem. A moda quem faz é quem usa", diz.

    O designer conta que além de identificar a armação para cada cliente, existe um trabalho para melhorar a autoestima das pessoas. Segundo ele, é importante que haja uma preparação psicológica para começar a usar óculos. "Eu sempre brinco que os óculos não são um acessório, mas um 'necessório'".

    Acerte na escolha

    Na hora de escolher o modelo de óculos para cada cliente, Giannini analisa os elementos principais que compõem o rosto, como altura e largura do nariz - para conforto visual e físico - e a altura das sobrancelhas, para efeito estético. Também são avaliados o tipo de personalidade e o estilo de cada um.

    "Os aros devem estar sempre um ou dois milímetros abaixo das sobrancelhas para deixá-las livres de qualquer interferência, já que são responsáveis pela expressão facial", explica Giannini.

    No caso dos óculos de sol, como o objetivo é a proteção, eles podem cobrir toda a região dos olhos. É preciso tomar cuidado também para que o apoio dos óculos no nariz não marque e muito menos machuque, podendo causar até mesmo câncer de pele. "Como auxiliares de visão e acessórios de moda, os óculos não devem se transformar no componente mais importante da face. Nada é mais importante que o rosto, nem mesmo um par de óculos", conclui. (C.M./AE)
     

    segunda-feira, 13 de setembro de 2010

    Assédio Moral: entenda o que é e como se proteger desse tipo de situação

    Palavras ofensivas, atitudes abusivas, humilhações recorrentes. Ações que isoladamenteo rrepresentam muito, mas que ao serem praticadas repetidas vezes contra uma mesma pessoa podem ser psicologicamente destrutivas. Mal que apesar de existir desde os primórdios da civilização, passou a ser identificado apenas noculo passado como assédio moral.

    No ambiente de trabalho essas atitudes podem representar muito mais do que o desejo de realizar uma brincadeira – de mau gosto –, já que freentemente tem a intenção de coagir a vítima. “Às vezes, quando o assédio ocorre do chefe para o subordinado, tem-se como objetivo despedir o funcionário sem pagar a eleos encargos trabalhistas que seriam impostos em uma demissão sem justa causa”, explica o secretário-executivo da comissão de Ética do Ministério do Trabalho e emprego, Marcos Ribeiro.

    Eai que ele acha? Ele vai falar na sua cara queo contratará ninguém a mais!'. Mas isso foi antes de eu me sentir assediada efetivamente e entrar com  processo'", conta Roberta.

    O assédio à funcionária do banco começou em 2005 quando, de acordo com o seu relato, pediu licença-saúde para cuidar de um Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (Dort), encaminhou oo ao superior e, logo depois, solicitou as férias que estavam vencidas. Quando retornou ao banco, Roberta percebeu que a chefia imediata havia mudado e que os colegas a estavam tratando com apatia.

    "No começo foi muito difícil. Eles me olhavam de forma estranha, não chegavam perto de mim. Quando entreguei ao gerente um documento do banco dizendo queo poderia mais trabalhar no caixa por causa da doença, ele me colocou para fazer serviço de estagiário. A partir daí ele nem ao menos falava comigo e eu ainda ouvia dos outros que ele fazia piada da minha situação", recorda.
                                           
    As humilhações sofridas foram inúmeras, desde o recebimento de uma advertência por ter batido uma gaveta que estava emperrada, até ser colocada em um canto da sala fazendo serviços proibidos pelo médico em razão da doença adquirida e ser privada de tomar uma vacina distribuída a todos os funcionários da empresa.

    Foi quando Roberta santos pediu ajuda ao sindicato e entrou na Justiça do Trabalho, após perceber que a situaçãoo iria mudar. "A minha preocupação era que todas as pessoas passassem a desrespeitar umas às outras", diz. Roberta ganhou em primeira instância o direito de receber R$ 150 mil de indenização do banco, mas contra a decisão ainda cabe recurso.

    Por se tratar de uma discussão recente no Judiciário brasileiro, muitas empresas não sabem como abordar o assédio e o dano moral com os funcionários. Mas, segundo o secretário-executivo da comissão de Ética do E, há um leque de ações que podem ser realizadas preventivamente. "A iniciativa privada, por meio dos sindicatos e das negociações coletivas, poderia estipular o que é assédio moral e em que tipo de situações ocorre naquela atividade profissional. Outro ato seria uma atuação didática nas empresas e sindicatos, onde chefia e subordinados aprenderiam o que é e como evitá-lo", explica.
                                          
    Porém, é importante ressaltar que nem todas as cobranças caracterizam o assédio moral. "É sempre o caso concreto que vai dizer, mas, dependendo do ambiente de trabalho, há situações em que a pessoa vive sob pressão e nem por isso é assédio moral. Por exemplo, quem trabalha no mercado financeiro ou no mercado em ações está sempre sob pressão, mas é da natureza daquela atividade. Deve-se sempre levar em conta a razoabilidade da situação”, esclarece Ribeiro." d s ass tínham c pr cas ass MT ch c d Vitória (
    * Nome fictício usado para preservar a identidade da personage

    o confunda!
    Assédio moral: é a exposição recorrente a situações constrangedoras e humilhantes. Via de regra é caracterizada por condutas antiéticas e tem por objetivo desestabilizar a vítima no trabalho.

    Assédio sexual: é a importunação de caráter sexual que parte, normalmente, da chefia para o subordinado e causa degradação no ambiente de trabalho. O pedido de favores sexuais é acompanhado de ameaças, promessas de favorecimento ou permanência no emprego.  caract

    Sou vítima de assédio moral. O que fazer?
     
    1. O primeiro passo é juntar o máximo de provas a seu favor, como fotos constrangedoras, e-mails vexatórios e depoimentos de testemunhas.

    2. Sempre dê publicidade ao fato. Primeiramente converse com o autor do assédio. Seo surtir efeito, encaminhe o caso ao superior do assediador, à ouvidoria interna da empresa e, em caso de órgão público,  à comissão de Ética.
                                           
    3. Se houver afastamento do trabalho por motivos de saúde ocasionados pelo sofrimento decorrente do assédio, converse com o médico sobre a real causa da angústia. Não se esqueça de guardar todos os documentos capazes de reforçar a prova do dano, como receitas de medicamentos (antidepressivos, por exemplo), atestados e laudos médicos.

    4. Caso o problema não consiga ser resolvido internamente, junte todas as provas obtidas e denuncie aoo da categoria profissional que integra e/ou ao Ministério Público do trabalho. Em caso de servidores públicos federais o fato deverá ser encaminhado à Justiça comum.
    ass sindicat
    Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego. Revista Trabalho