data='blog' name='google-analytics'/>

Seguidores

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Atividade física previne a insônia, diz especialista


Quer dormir bem? Então, mexa-se. Esta é a recomendação de especialistas em sono: atividades físicas regulares levam o indivíduo a fazer as pazes com o travesseiro. E, em muitos casos, o exercício pode reduzir ou até eliminar a necessidade de tomar remédios para dormir.
"O ideal é praticar uma atividade física quatro vezes por semana, por pelo menos 40 minutos. E a intensidade do exercício vai depender do condicionamento físico da pessoa. Para quem é sedentário, começar pela caminhada já vai trazer uma boa melhora", diz a neurologista Andrea Bacelar, vice-presidente da Associação Brasileira do Sono.
Segundo a especialista, o ideal é fazer estas atividades físicas pela parte da manhã. Se a pessoa só tiver disponibilidade no fim da tarde ou à noite, o indicado é evitar fazer o exercício quatro horas antes de dormir.
A atividade física libera hormônios como a endorfina, que relaxa. Mas também libera a adrenalina, daí o alerta para evitar se exercitar antes de dormir.
Além disso, praticar a atividade de manhã faz com que o organismo funcione melhor, proporcionando um bem-estar físico e mental. Isto acaba se refletindo na qualidade do sono.
"Quem pratica esportes ou atividades físicas regulares tem um tempo total de sono maior e também uma maior quantidade de sono profundo, que é fundamental para o cérebro processar novas informações", diz.
O exercício ajuda a dormir, e vice-versa, num círculo virtuoso. Dormir bem, dá mais vigor ao organismo para praticar atividades físicas, pois libera o hormônio do crescimento, até mesmo na idade adulta. "No adulto, este hormônio recupera a musculatura e ajuda a reduzir riscos de osteoporose", diz a neurologista.
Por outro lado, dormir mal tem consequência a curto e a longo prazo. A curto prazo, causa irritabilidade, cansaço, déficit de atenção. A longo prazo, baixa a imunidade, antecipando doenças degenerativas, como hipertensão e diabetes.
Metade dos adultos brasileiros tem queixas em relação à qualidade do sono: ou não tem tempo para dormir, por causa dos afazeres do cotidiano; ou demoram a pegar no sono; ou dormem tão mal que acabam passando dia cansados, segundo uma pesquisa da Academia Brasileira de Neurologia, de 2009. Isto sem falar na insônia propriamente dita, um mal que atinge 20% da população mundial, de acordo com estudo da Sleep Foudation, dos EUA.
"O quadro de insônia crônica se configura partir de um mês sem conseguir dormir direito. Então, é a hora de procurar um médico" diz a neurologista.

 

Renato Aragão sofre acidente no Projac

Renato Aragão sofre acidente no Projac
O humorista escorregou e quebrou o nariz, além de sofrer um corte na testa durante as gravações do programa As Aventuras do Didi, na tarde da quinta-feira

O humorista Renato Aragão escorregou e quebrou o nariz, além de sofrer um corte na testa durante as gravações do programa As Aventuras do Didi, na tarde da quinta-feira 15. Após o acidente, ele foi encaminhado ao hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca, onde permaneceu um dia em observação antes de voltar para casa. No período em que ficou hospitalizado, Renato Aragão foi submetido a uma pequena cirurgia. Em comunicado oficial emitido à imprensa, o artista tranqüilizou os fãs.“Estou bem. Agradeço o carinho e a preocupação, mas garanto que vou sair daqui até mais bonito”, afirmou.

Sofri preconceito por ser bonita"

A apresentadora do Vídeo Show Fiorella Mattheis conta como superou acusações de que lhe faltava conteúdo e agora sonha em ter um programa de tevê direcionado ao público jovem.
A máxima de que a beleza abre portas não se aplica a Fiorella Mattheis. Dona de um rosto irretocável, a moça, que encanta os telespectadores nas tardes da Rede Globo como uma das apresentadoras do Vídeo Show, teve que mostrar na marra que carinha angelical não é sinônimo de falta de talento. “Já sofri preconceito por ser bonita. Tenho conseguido superar os obstáculos na medida em que venho mostrando que tenho conteúdo”, diz. Determinada, ela não desvia o olhar de seu principal foco: ter um programa só seu, direcionado ao público jovem. “Tenho algumas coisas escritas e estou trabalhando em cima disso”, avisa.

Fiorella começou a chamar a atenção quando ainda era menina. Aos 14 anos tornou-se modelo e logo estava trabalhando no Japão e em vários países da Europa. Durante os quatro anos em que se dedicou à profissão, aprendeu a se defender sozinha. “Cresci e aprendi o que não quero para a minha vida.”

Namorando há três anos o advogado Flavio Zveiter, a apresentadora de 22 anos conta que sonha com filhos. “Sou romântica”, diz. Na entrevista à Gente, ela revela um pouco mais de seus ideais, fala da infância em Petrópolis (RJ) e da relação com a família.


Casamento

“Sou romântica. Sonho com uma família linda, filhos, uma casa com flores e cachorros. Penso em casar na serra, em um final de tarde, um clima gostoso, cerimônia no jardim. Mas no momento tenho outras prioridades. Foco total na minha realização profissional. A hora é essa.”


Filhos

“Quando for mãe, a responsabilidade vai triplicar. Como todas as mães dizem, minha vida nunca mais vai ser a mesma. Sempre quis quatro filhos e gostaria de ter gêmeos. Hoje não sei mais. Pelo menos três eu vou ter, com certeza! Acho que será com uns 27 ou 28 anos.”


Adriane Galisteu

Adriane Galisteu está disposta a não engordar mais do que os oitos quilos já adquiridos com a gravidez de seis meses. Para isso, a apresentadora já reservou a maior parte de sua agenda do mês de maio para se internar no SPA Sete Voltas, em Itatiba, no interior de São Paulo.
“Vou passar o feriado no SPA e fico lá até o dia 6, depois venho para São Paulo. Daí no dia 14 eu volto para o SPA e fico até o dia 30”, contou Galisteu a O Fuxico.
Mesmo com a fixação em não engordar mais do que o necessário, Galisteu garante que não está fazendo nenhuma loucura.
“As pessoas levam muito a sério o que eu falo, mas não estou fazendo nada que não queira. Parei de malhar e estou aproveitando essa fase para fazer tudo o que quero”, disse.
A apresentadora espera o filho para a primeira semana de agosto e pretende ficar dois meses de licença maternidade. “Mas a partir do sétimo mês ele pode vir quando quiser, né? (risos)”, comentou. 

Americana compra veículo usado e leva susto ao achar cobra


Mulher disse que viu o réptil debaixo do banco do passageiro.
Ao ver a píton, ela saiu gritando: 'Há uma cobra no meu carro'.

Do G1, em São Paulo
A norte-americana Marquita Lawrence levou um susto ao encontrar uma píton dentro de um veículo usado, um Toyota Camry, que havia comprado na cidade de Gonzales, no estado da Louisiana (EUA), segundo reportagem da emissora "WAFB-TV".
Americano achou píton em carro que havia comprado.Americano achou píton em carro que havia comprado. (Foto: Reprodução)
A mulher disse que viu o réptil rastejando debaixo do banco do passageiro, indo em direção de seu frango frito. Em pânico, Marquita jogou o carro em um canteiro central da avenida e saiu gritando: “Há uma cobra no meu carro, há uma cobra no meu carro”.
Os funcionários da concessionária disseram que a cobra pertencia a um casal que havia tentado comprar o carro há cerca de um mês. Eles disseram que o casal levou o carro para testar por algumas semanas, mas acabou não fechando o negócio.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

RIO 2016 - IMAGENS AEREAS FULL HD - RIO DE JANEIRO AIR VIEW-HELICOPTERO HD-WWW.HELINEWS.COM.BR

Flamengo e Corinthians começaram a decidir uma vaga nas quartas de final da Libertadores na quarta-feira (28). O Flamengo venceu por 1 a 0, gol de Adriano, de pênalti. Com o resultado, o time carioca precisa apenas de um empate no Pacaembu na próxima quarta-feira (5) para avançar na competição continental
 

No último dia 20, César Menotti & Fabiano lançaram em São Paulo seu novo álbum: “Retrato, ao vivo no estúdio”. Numa tarde movimentada e emocionante, a dupla recebeu amigos, fãs e jornalistas para contar tudo sobre o novo trabalho – que chega hoje, 27/04, às lojas. Além dos bastidores dessa tarde, confiram no vídeo alguns trechos da gravação do novo álbum e o grande momento do dia: a entrega do Disco de Ouro pelas 40 mil cópias vendidas.

TERMINAL DE PINHEIROS, SERA O PRIMEIRO DE SÃO PAULO, COM GARAGEM

Previsto para ser inaugurado em dezembro, o terminal Pinheiros da SPTrans (São Paulo Transporte), na zona oeste da capital paulista, terá 470 vagas de estacionamento para carros. É o primeiro terminal da cidade com garagem. A ideia da prefeitura é atrair motoristas ao local, de onde será possível seguir viagem em ônibus municipais e intermunicipais, trem, metrô e até de bicicleta.
O valor da diária no estacionamento não está definido. Segundo especialistas, este é o principal fator que fará o projeto ser atrativo ou não. O Metrô, por exemplo, tem um programa que permite estacionar o carro e seguir viagem de ida e volta em sete estações, com preços que variam de R$ 8,30 a R$ 11,40 por 12 horas. Outras garagens da prefeitura, como a do Hospital das Clínicas, têm preço de R$ 330 por mês, ou R$ 15 por dia útil.
Segundo a Secretaria Municipal dos Transportes, será realizada licitação para escolher uma empresa privada para operar a garagem. A obra tem custo estimado em R$ 40 milhões. O estacionamento ficará embaixo das plataformas de ônibus.

VARIEDADES: OLHA GENTE!! NEM TUDO ESTA PERDIDO!!! KKKKKKK

VARIEDADES: OLHA GENTE!! NEM TUDO ESTA PERDIDO!!! KKKKKKK

OLHA GENTE!! NEM TUDO ESTA PERDIDO!!! KKKKKKK

quarta-feira, 28 de abril de 2010

O carioca é malandro. O paulista só pensa em trabalho. O mineiro é provinciano. O baiano, preguiçoso. O curitibano, anti-social. O gaúcho, bem, você já deve imaginar... Mas os brasileiros podem mesmo ser classificados assim, genericamente? A pergunta renderia uma longa discussão, mas é inegável que o humor se encarregou de formular estereótipos de acordo com cada estado brasileiro.

  • Especial Humor

  • Os "tipos" regionais clássicos tiveram ainda mais propagação em três eixos principais, que acabaram se tornando referências do humor, com o matuto nordestino, o malandro carioca e o caipira do interior paulista e mineiro.
    Incontestavelmente, o Ceará é o berço de desses tipos -e celeiro de grandes humoristas. Márcio Acselrad, coordenador do Labgraça, grupo de pesquisa sobre humor da Universidade de Fortaleza (Unifor), afirma que o humor cearense é o da descontração, do "Ceará Moleque", que faz gozação com os outros e produz risada a partir dos próprios costumes e vida sexual das pessoas. "Humor é feito para rir, não precisa ter uma missão e, no Ceará, isso é muito evidente. O cearense é engraçado por natureza e faz piada até sobre si mesmo", diz.
    Para este comentário, não faltam exemplos, já que Renato Aragão e Tom Cavalcante são dois importantes nomes dessa escola. "O Didi é isso. Mistura zombaria com um olhar infantil que é pura graça". O coordenador conta que esse estilo de fazer humor foi ao encontro do público na década de 1980, quando homens travestidos começaram a fazer shows humorísticos nas pizzarias, o que se tornou marca registrada do Ceará e é hoje atração turística.
    Mas não dá para falar de humor cearense sem citar Chico Anysio. Apesar de ter se mudado para o Rio muito novo, o imortal Professor Raymundo - que ele não esconde ser seu personagem preferido - tem na veia o talento cearense e foi um dos maiores sucessos humorísticos da TV brasileira. Sobre a razão da farta safra de humoristas do estado, Acselrad brinca: "Deve ser a água - ou a falta dela. Acho que no Ceará as pessoas viram no humor a saída para problemas como a miséria".
    No Sudeste
    Já no eixo Rio-São Paulo, a questão política foi alvo de muitos humoristas, mas o regionalismo não deixou de ser matéria-prima para as piadas cariocas e paulistanas. "Na linguagem do humor, o carioca vai sempre ser o malandro que não leva a vida tão a sério e zomba do paulista por trabalhar demais", comenta Márcio.

    Mas o que pode ser definido como originalmente carioca é o besteirol, que teve início nos anos 80. É o que diz Bruno Mazzeo, roteirista de programas de TV e um dos principais representantes da nova geração de humoristas. "Essa coisa mais despojada de falar besteira, até pelo clima da cidade, foi inaugurada no Rio e depois se espalhou para o Brasil. Pedro Cardoso, Felipe Pinheiro, Miguel Falabella e Guilherme Karan foram os precursores", afirma Mazzeo, que estreia no cinema em outubro com a comédia 'Muita calma nesa hora' e parece ter herdado o talento do pai... Chico Anysio. A trupe do Casseta & Planeta também é célebre pelo escracho e não poupa os estereótipos regionalistas em suas piadas.
    Já pelas bandas de Minas Gerais, de acordo com o humorista Geraldo Magela, o Ceguinho, o que prevalece é o jeito doce e carismático do mineiro, que acabou ganhando fama de caipira, encarnado na figura de Nerso da Capitinga (personagem de Pedro Bismarck), um dos principais símbolos atuais deste tipo clássico. "Somos zombados muito por causa do sotaque e pelos hábitos do interior de Minas de tomar 'cafezim' no fim da tarde e 'prosear' com o vizinho. É uma coisa cultural do estado que os humoristas exageram para fazer piada", diz o Ceguinho.
    Segundo a historiadora e editora do blog Carbono Catorze, Paula Janovitch, o humor regional que faz menção ao caipira surgiu no final do Império, quando os jornais publicavam colunas em que um caipira ficcional descrevia sua vinda para a cidade. No início do século 20, de acordo com Janovitch, este personagem passa a usar sua ingenuidade para fazer crítica à vida urbana e se torna o caipira urbano, que contesta o preconceito. Importante personagem da época foi o jornalista Cornélio Pires, que difundiu seu personagem caipira na rádio.
    Mas foi nos anos 1920 que a figura do caipira perde a força crítica e passa a ser o que tem verme, é ingênuo e bobo. Isso é retratado no Jeca Tatu, personagem de Monteiro Lobato que é interpretado no cinema por Amácio Mazzaropi, um dos atores que mais encarnou o tipo do caipira. "Nesta época, campo e cidade se tornam lugares distintos, com classes sociais mais definidas. Assim, o caipira passa a ser o excluído e é alvo do humor. Mazzaropi faz o típico caipira 'bobo' desta fase", afirma a historiadora.
    Apesar de ser visto como 'ingênuo', assim como o malandro carioca e o matuto nordestino, o estereótipo do caipira é tambem o 'esperto', 'o mineiro que come quieto'. Para Márcio Acselrad, isso é próprio da cultura brasileira e acontece porque humor é estratégia de sobrevivência. "Quando eu não tenho nada, é melhor ludibriar, enganar, sair por cima. O humor brinca com isso", explica.
    Comédia em pé
    Se os tipos regionais geram risada, uma nova onda "sem tipo" também tem divertido o brasileiro. Iminentemente urbano, o stand up comedy ("comédia em pé", em inglês) virou moda, apesar de ser um gênero existente no Brasil desde a década de 1960, com o humorista José Vasconcelos.

    Para Fábio Rabin - que faz stand up há cinco anos, antes mesmo de virar febre no Brasil, e também alegra o telespectador da MTV com o programa Comédia - o humor estava carente de identificação e as piadas precisavam ser renovadas, o que a comédia em pé tenta resolver. Segundo Rabin, até nesse gênero é possível ver as marcas de cada estado.
    "Enquanto o paulista tem mais preocupação em ensaiar, o carioca, até pela característica de ser despojado, improvisa mais. No Nordeste também há mais improviso, e eles usam muitos recursos regionais, como repente, poesia, jogo de palavras, fantoches, algo bem original", conta o humorista de 28 anos.
    Independentemente da região, o humor brasileiro vive um bom momento e tem conquistado espaço até mesmo em espaços inusitados. Emissora de TV genuinamente musical, a MTV, assim como a Rede Record, vem oferecendo mais espaço para o humor. Dos 34 programas da grade, cinco são essencialmente humorísticos, outros três misturam jornalismo com humor e dois são desenhos animados que também pretendem fazer rir. Só este ano, a emissora contratou seis novos humoristas e destinou metade do horário nobre de segunda a sexta-feira a programas de humor. "Percebemos que o público teve muita receptividade a esta nova linha, que tem alavancado nosa audiência", afirma Raquel Affonso, gerente de programação da MTV Brasil.

    quarta-feira, 14 de abril de 2010

    Glamour total

    Glamour total

    As 50 estrelas mais irradiam glamour na atualidade, escolhidas pela revista norte-americana glamour
    Pelo terceiro ano consecutivo, a edição americana da revista Glamour publicou a lista das mulheres mais glamourosas de 2010, aquelas que desfilaram seu charme pelo tapete vermelho e esbanjaram estilo pelo mundo todo.
    No ranking das 50 mais, mulheres bonitas, bem sucedidas e que transformam em ouro tudo o que tocam – ou vestem. Angelina Jolie, Michelle Obama, Salma Hayek, Kate Moss e outras mais, que são muito diferentes entre si, mas compartilham o dom de irradiar glamour por onde quer que passam. …
    Qual será o segredo de tanto sucesso?
    Separei fotos com as 10 mais do ano e as frases que elas disseram para a revista sobre seu próprio estilo. O nome de todas as escolhidas está no site da Glamour.

    1. Leighton Meester: “Busco inspiração em mulheres sexy e fortes, como Madonna e Gwen Stefani”


    2. Zoe Saldaña: “Não quero ser outra mulher do mundo que não eu”


    3. Amanda Seyfried: “Maquiagem e produção não fazem minha noite ser melhor. Preciso estar bem por dentro acima de tudo”


    4. Kristen Stewart: “Acho legal usar jaqueta jeans tanto quanto vestidos de festa”


    5. Emma Watson: “Não gosto de carregar o visual”


    6. Taylor Swift: “Prefiro roupas mais respeitáveis, clássicas”


    7. Blake Lively: “Moda é saber combinar”


    8. Rihanna: “Gosto de misturar estilos”


    9. Freida Pinto: “Sutileza é o segredo da elegância”

    10. Katy Perry: “Não tenho medo de arriscar, experimentar coisas novas”